Sociedade

PORTO SOLIDÁRIO: UM MILHÃO DE EUROS APROVADOS POR UNANIMIDADE

A Assembleia Municipal do Porto aprovou segunda-feira à noite, dia 3, por unanimidade, o programa Porto Solidário – Fundo Municipal de Emergência Social. Destinado a apoiar munícipes com dificuldades financeiras, o fundo tem um milhão de euros para gastar ainda este ano.
global
Global Imagens

Porto Solidário – Fundo Municipal de Emergência Social dirige-se a três áreas: apoio à habitação, apoio e inclusão de cidadãos com deficiência e apoio a instituições de solidariedade social (IPSS) e outras sem fins lucrativos. A área da habitação conta com um apoio monetário de 500 mil euros, a segunda área com 350 mil euros e a terceira com 150 mil.

Apesar de faltarem apenas dois meses para o final do ano, Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, esclarece que o dinheiro é para gastar até essa altura, ainda que possa não chegar às pessoas até dia 31 de dezembro.

PSD, na voz do social-democrata Eduardo Carqueja, defende que o programa deveria ter sido aplicado desde o início do ano, apontando que “quem precisa perdeu praticamente um ano por inércia” da Câmara Municipal do Porto.

Rui Moreira respondeu que o executivo quis primeiro fazer um diagnóstico dos problemas sociais do município, de modo a identificar as principais carências encontradas.

Artur Ribeiro, da CDU, considerou que este programa “devia ser complementar com outros” e que “é mais um programa de substituição do que de complementaridade”. Sustentou ainda que Rui Moreira “este ano, só está a cumprir metade” do que propôs no seu programa eleitoral, referindo-se ao facto de nele estarem contemplados dois milhões de euros anuais em solidariedade social. O presidente da Câmara respondeu que o executivo quer ter “uma política de continuidade”.

O programa Porto Solidário vai abranger, segundo Rui Moreira, “cerca de 300 famílias”. Manuel Pizarro, vereador da Habitação e Ação Social considera que “ (essas famílias) vão ter um apoio significativo para a sua vida”.

Save