Cultura Sociedade

O “adeus às câmaras” de Bruce Willis: afasia dita fim de carreira

A 30 de março de 2022, a família de Bruce Willis anunciou, através das redes sociais, que a carreira do ator chegou ao fim. O diagnóstico recente de afasia, uma doença neurológica, ditou o "adeus às câmaras".

“O nosso querido Bruce tem tido alguns problemas de saúde e foi recentemente diagnosticado com afasia, que está a afetar as suas capacidades cognitivas. Como resultado, e depois de muita reflexão, o Bruce vai afastar-se da carreira que tanto significado teve para ele”. Foi assim, via Instagram, que a família do ator de 67 anos informou o público da sua saída do mundo da representação.

Com mais de 40 anos de trabalho, recheados de sucesso, Bruce Willis sofre agora de afasia, um distúrbio neurológico que afeta a fala e a compreensão e , por vezes, a leitura e a escrita. O anúnico partiu da mulher Emma Heming, da ex-mulher Demi Moore e das filhas Rumer, Scout, Tallulah, Mabel e Evelyn, sendo partilhado, como publicação, por várias delas, no seu próprio perfil.

A afasia pode ter várias causas, mas a família de Bruce Willis não avançou detalhes acerca do que pode ter levado o ator a desenvolver a doença. Emma Heming, Demi Moore, e as cinco filhas do ator revelaram estar a ser um “momento muito desafiante” e agradeceram o apoio dos fãs. Já são vários os nomes do mundo do cinema que reagiram à notícia, entre eles Sylvester Stallone, que dedicou um post nas redes sociais à sua amizade de longa data.

O que é a afasia?

De acordo com o site da CUF, a afasia é “um distúrbio da comunicação adquirido que interfere na capacidade de processamento da linguagem, sem afetar a inteligência. Prejudica a fala e a compreensão de outras pessoas e, em muitos casos, também compromete a leitura e a escrita”. Decorre, maioritariamente, de AVC, mas pode ter outras causas como traumatismos crânio-encefálicos, tumores cerebrais ou problemas neurológicos. Segundo a CUF, é “uma das sequelas mais incapacitantes de um AVC sendo difícil para o doente e para a sua família a adaptação a esta situação. Obriga a modificações dramáticas a nível profissional, social e económico, e gera dificuldades de comunicação e distúrbios emocionais por vezes graves”, acabando por afetar a autoestima e as relações interpessoais, conduzindo, muitas vezes, à depressão e isolamento.

A afasia atinge cerca de um milhão de norte-americanos e é mais comum do que o Parkinson.

O percurso de Bruce Willis

Walter Bruce Willis nasceu na Alemanha, a a 19 de março de 1955, em Idar-Oberstein, Alemanha. Ainda muito jovem, foi viver para os Estados Unidos e, pouco depois de terminar o liceu, rumou a Nova Iorque à procura de oportunidades enquanto ator. Começou por desempenhar pequenos papéis, mas foi com a série de televisão Moonlighting (1985), ao representar ao lado de Cybill Shepherd, o que lhe valeu um Emmy.

Ao longo da sua carreira, foram vários os filmes que esgotaram as bilheteiras. “Die Hard” é uma série de filmes de ação, na qual Bruce Willis desempenha o protagonista. Contudo, a versatilidade do ator permitiu-lhe encarnar personagens de outros géneros cinematoigráficos, como o drama, o thiller, a ficção científica, e até a comédia, com Look Who’s Talking e Look Who’s Talking Too. Ao todo, são mais de 100 filmes que contam com a participação do ator, que completou recentemente 67 anos.

Poster do filme “A Good Day to Die Hard” (2013). Fonte: IMDB

A música também sempre foi uma paixão de Bruce, o que o levou a lançar pelo menos três discos, enquanto cantor.

Bruce Willis foi casado com Demi Moore, durante treze anos, com quem chegou a contracenar e com quem tem três filhas. Atualmente, é casado com Emma Heming, relação que deu origem a mais duas meninas.

 

Escrito por Ana Francisa Maio

Revisão por Beatriz Oliveira.