Sociedade

Campanha “Somos Todos Ucrânia” recolhe e organiza auxílios para o povo ucraniano

A campanha “Somos Todos Ucrânia” foi lançada pelos municípios do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos para promover respostas e organizar manifestações de auxílio ao povo ucraniano.
Manifestação de Apoio à Ucrânia. Créditos: Bárbara Pedrosa, JUP

 

Em conjunto com o Consulado da Ucrânia no Porto, a Associação dos Ucranianos em Portugal e o Seminário Redentorista Cristo Rei em Vila Nova de Gaia, a campanha foi aprovada no dia 6 de março no Porto.

Foi o criado o site www.somostodosucrania.pt e disponibilizado a linha telefónica 222 090 420 para promover respostas e providenciar apoios. O contacto para a linha telefónica pode ser feito das 9 às 19 horas. Segundo o site da Câmara do Porto, a campanha destina-se exclusivamente ao apoio que a comunidade pode prestar como a “recolha de bens, o acolhimento a famílias refugiadas, ofertas para bolsas de emprego e bolsa de serviços”.

Dentro do site, podemos encontrar quatro secções de apoio que a comunidade pode disponibilizar ao povo ucraniano.

Créditos: Site Somos Todos Ucrânia

Recolha de Bens

Nesta secção, a comunidade pode encontrar as diversas juntas de freguesias abrangidas pelo projeto onde pode doar bens. A lista dos bens admissíveis pode ser encontrada aqui. Não são aceites bebidas alcoólicas, congelados, fruta, legumes e outros bens perecíveis e produtos acondicionados em embalagens de vidro.

No caso do Município de Vila Nova de Gaia, está “temporariamente suspensa a receção de vestuário. Não recebemos água e leite. Mantém-se a aceitação de mantas e agasalhos da mesma tipologia”.

Todos os bens serão posteriormente enviados, através da empresa Rangel Logistics Solutions, “para o destino, que será a fronteira da Polónia com a Ucrânia”, como informa o site noticioso da Câmara de Vila Nova de Gaia.

Acolhimento de Famílias

Nesta secção, as pessoas podem manifestar a sua vontade de acolher cidadãos e famílias ucranianas. Basta preencher alguns pontos com informações pessoais e dados acerca do seu imóvel. “Esta manifestação não é totalmente vinculativa, mas será posteriormente contactado para se enquadrar com as reais necessidades”, como consta no site da campanha.

A resposta a esta ajuda será coordenada com o Alto Comissariado para as Migrações. O Centro Nacional de Apoio ao Migrante Norte também manifestou o apoio a todas as famílias dispostas e acolher ucranianos.

Bolsa de Emprego

As ofertas de emprego destinadas a cidadãos ucranianos serão analisadas pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Segundo a Câmara de Vila Nova de Gaia, o projeto está coordenado com várias associações de diversos setores como “Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT), a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), a Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP), a Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS), a Associação dos Comerciantes do Porto e a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE)”.

Bolsa de Serviços

Na última secção, apela-se a todos os médicos, advogados, psicólogos, tradutores, cabeleireiros, motoristas ou profissionais de outros setores como proprietários de estabelecimentos de restauração dispostos a servir refeições que queiram ajudar o povo ucraniano.

As Câmaras do Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia estabeleceram um protocolo com a Ordem dos Psicólogos Portugueses para disponibilizar apoio na questão da literacia em saúde psicológica e “bem-estar das populações, com o objetivo de apoiá-las a lidar com as questões que a mesma suscita”, como informa a Câmara de Vila Nova de Gaia.

 

O conflito dura há de um mês e a Organização Internacional para as Migrações estima que 4,5 milhões de pessoas já tenham fugido da Ucrânia. As Nações Unidas estimam que 2,5 milhões sejam refugiados e cerca de 2 milhões sejam deslocados internos.

Para mais informações, o Governo português disponibilizou uma página web chamada SOS Ucrânia onde pode encontrar vários contactos e plataformas preparadas para lhe prestar um apoio mais direto no contexto atual de resposta humanitária ao conflito armado na Ucrânia.

Os que procuram ajuda direta como o pedido de documentos ao Estado Ucraniano ou de alistamento para a guerra deve apresentar-se no Consulado da Ucrânia no Porto situado na Avenida de França, Edifício do Capitólio 352, loja 57. O atendimento presencial está aberto de segunda a sexta-feira entre as 08:00 e as 16:30. Para mais informações, pode contactar a linha 222 011 889.

 

Artigo de Sofia Guimarães

Revisão de Inês Santos

Fotografia de Bárbara Pedrosa