Sociedade

A GRITAR “NÃO HÁ PLANETA B” JOVENS PORTUENSES LIDERARAM GREVE CLIMÁTICA NESTA SEXTA-FEIRA

Faltaram às aulas para levar a lição às ruas: o futuro do planeta depende da mudança. Os jovens portuenses marcaram presença nas manifestações que decorreram em todo o país, na luta por respostas políticas

Artigo da autoria de Amanda Ribeiro

Os estudantes reuniram-se bem cedo e a greve começou pelas 10:30h na Praça da República, mas não foram os únicos: meia centena de localidades portuguesas juntaram-se esta sexta-feira, 24 de maio, à greve global pelo clima. Também em Lisboa, Porto, Coimbra e Braga, os gritos foram uníssonos: “Salvemos o planeta, o planeta é o nosso futuro”.

Os jovens manifestantes acreditam que existe uma necessidade de faltar à escola para estar no protesto, por acreditarem que “a causa é a mais justa”. A inspiração destes movimentos é Greta Thumberg, cujo nome esteve em diversos cartazes nesta greve. A famosa jovem sueca, com apenas 16 anos, é destacada como a ativista que iniciou o movimento estudantil em prol do clima com os seus protestos em frente ao parlamento da Suécia.

Esta manifestação na luta pela clima não foi a primeira. Há pouco mais de dois meses, a 15 de março, também muitos jovens reuniram-se em várias cidades do país para se fazerem ouvir. Desta vez a data foi escolhida com precisão e dois dias antes das eleições europeias, deputados dos Verdes, PCP, PAN e CDS juntaram-se aos estudantes na greve.

O percurso terminou na praça dos Aliados pelas 12:00h. Os manifestantes prometeram que esta não seria a última vez que se juntaríam. A nova greve geral está já agendada para o dia 27 de setembro.

 

Artigo da autoria de Amanda Ribeiro