Sociedade

RACISMO: CRIME DE ÓDIO MOTIVA PROTESTOS

Vários núcleos e coletivos ativistas convocaram concentrações em frente às empresas STCP e 2045, como resposta às agressões à jovem luso-colombiana por parte de um segurança dos transportes do Porto. As concentrações estão marcadas para dia 5 e 10 de julho.

No passado dia 24 de Junho, na festa de São João no Porto, a jovem Nicol Quinayas, luso-colombiana de 21 anos, foi vítima de um crime de ódio perpetrado por um funcionário da empresa 2045, ao serviço da STCP.

A agressão foi filmada e partilhada nas redes sociais e, entretanto, Nicol deu várias entrevistas em diversas plataformas de comunicação social onde descreve toda a situação que a levou a ser agredida. Vários partidos políticos pediram explicações ao governo e o caso está, neste momento, a ser investigado.

Sabe-se, ainda, que a PSP não demonstrou preocupação pela jovem no local da agressão e que demorou três dias a fazer participação da ocorrência.

Desde o acontecimento, a frase “Aqui não entras, preta de merda!” acompanha as redes sociais em manifestações de revolta e pede-se consequências para o agressor.

No comunicado feito pela SOS Racismo lê-se “Lamentavelmente, os uniformes parecem conferir a determinados indivíduos o sentimento de impunidade de que precisam para atuar fora da lei. Os insultos e o uso absolutamente desproporcionado de violência foram, neste caso, mais um exemplo de discriminação racista e xenófoba em Portugal.”

O incidente já circula também na comunicação social colombiana e está a gerar uma onda de manifestações contra a atitude do funcionário, mas também contra as escassas declarações apresentadas pelas empresas STCP e 2045.

O encontro está marcado para o dia 5 na Avenida Fernão Magalhães, em frente à sede da empresa STCP, e para o dia 10 na Rua Oriental, no Freixieiro, em frente à sede da empresa 2045. Ambos os encontros foram marcados às 17h.