DEBATE: HEFORSHE ABRE DISCUSSÃO SOBRE “O GÉNERO E A ACADEMIA” – Jornal Universitário do Porto
Sociedade

DEBATE: HEFORSHE ABRE DISCUSSÃO SOBRE “O GÉNERO E A ACADEMIA”

"(Des)Igualdade e violência(s) de género no meio académico" é o tema do debate a realizar dia 17 de maio, no Anfiteatro 2 da Faculdade de Letras.

 

Com início previsto para as 15h30, o debate organizado pelo núcleo HeforShe FLUP foca as questões de género sob a lente do espaço académico. Igualdade e violência de género vão ser o ponto de partida para uma discussão que, segundo o evento no facebook, “se poderá estender a diferentes questões, desde a violência no namoro até à discriminação relativamente à sexualidade”.

O debate conta com uma primeira parte expositiva, dinamizada pelas intervenções da Sub-Diretora da FLUP, Professora Doutora Isabel Dias, da Associação PlanoI, associação para a promoção da igualdade e da inclusão, e da It Gets Better!, associação para o empoderamento de jovens LGBTI vitimas de violência de género. Relativamente ao contexto em que este se insere, Telma Roque, representante do núcleo, destaca a importância de “debater as questões de igualdade de género, violência de género, a sexualidade, etc. na academia, pois […] é sobretudo no ensino superior que nós nos evoluímos mais enquanto profissionais e também enquanto seres sociais”.

O núcleo da FLUP é recente, com início de atividade em setembro de 2017, sendo este o terceiro momento em que abrem espaço para reflexão sobre questões de género na academia. Sobre a importância deste debate, Telma Roque, representante do núcleo, realça que  “como jovens adultos, devemos observar e questionar o que se passa à nossa volta e o que podemos fazer para construir um futuro melhor.  Há vários locais de atuação, e a academia é apenas um deles – é tudo uma questão de “act local, think global”!”

O núcleo HeforShe FLUP é uma ramificação do projeto HeforShe Portugal e, segundo a representante, “pretende principalmente trabalhar em conjunto com as instituições e organizações da cidade, de forma a ser agente promotor da defesa, interesse e adoção de medidas de igualdade de género.” Telma esclarece ainda que “nas cinco diferentes instituições onde já existem núcleos (Faculdade de Letras, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Faculdade de Economia, Faculdade de Medicina e Faculdade de Farmácia) os eventos e projetos são promovidos com base nas áreas de estudo de cada faculdade, de modo a dinamizar a discussão da igualdade de género nos diferentes campos sociais, económicos e/ou profissionais.”

Fica, assim, marcada para quinta-feira a reflexão da academia sobre si mesma, tendo como ponto de partida as questões de género.