A NÃO FESTA DE ANIVERSÁRIO DE AHED TAMIMI – Jornal Universitário do Porto
Sociedade

A NÃO FESTA DE ANIVERSÁRIO DE AHED TAMIMI

Na passada quarta-feira, dia de aniversário de Ahed Tamimi, a avenida dos Aliados recebeu um apelo de ação pela libertação da ativista palestiniana.

Na passada quarta-feira, 31 de janeiro, a ativista Ahed Tamimi completou 17 anos numa prisão em Hasharon, Israel. Foi por isso que a Avenida dos Aliados recebeu mais uma concentração pela libertação da jovem.

O evento teve início por volta das 18h30 e contou com várias dezenas de pessoas. Quem por ali passasse podia escrever postais e palavras solidárias a Ahed, deixando, deste modo, uma manifestação de desacordo contra a detenção de menores em Israel.

Já no topo dos Aliados, junto ao monumento a Almeida Garrett, foi montada uma exposição com dezenas de fotografias, não só de Tamimi, mas de outras crianças detidas nas prisões de Israel-Palestina. Numa faixa estendida ao longo da avenida podíamos ler “Free Palestine”.

Segundo o Grupo de Ação Palestina, um conjunto de pessoas que se dedica a todas as atividades pela causa palestiniana e também organizador do apelo de ação no Porto, o evento serviu para “denunciar a detenção de Ahed e de todas as crianças detidas por Israel”.

No final do evento, os presentes cantaram os parabéns a Ahed Tamimi e proferiram alguma palavras solidárias pela jovem.

Não só no Porto se exigiu a libertação imediata da ativista palestiniana. O apelo, inicialmente lançado pela Samidoun: Palestinian Prisioner Solidarity Network, também chegou a outras cidades. Em Lisboa, a concentração ganhou forma em frente à Embaixada de Israel.

 

AHED TAMIMI, UM SÍMBOLO DA LUTA CONTRA A OCUPAÇÃO ISRAELITA

Ahed está numa cadeira militar Israelita desde o dia 19 de Dezembro. A jovem é acusada de agressão contra dois soldados israelitas. Tudo indica que reagia contra o uso de balas de borracha disparadas contra o primo de 14 anos que foi ferido na cabeça.

Mas a resistência de Ahed Tamimi não é recente. Tamimi já luta há alguns anos contra a ocupação de Israel na Palestina. Depois de ter confrontado um soldado israelita com apenas 13 anos, recebeu o prémio Hanzala pela coragem. Mais tarde, com 15 anos, imagens da jovem a morder um soldado que tentava deter o irmão foram extensamente divulgadas.

O mundo inteiro tem exigido a libertação de Ahed Tamimi: vários apelos de ação foram lançados, nas redes sociais foi divulgado o hashtag #FreeAhed e foi ainda criada uma petição online.

Ainda sobre o mesmo tema, de referir que no próximo dia 17 de Fevererio, o Grupo Ação Palestina vai exibir o filme Thank God It’s Friday (É Sexta, graças a Deus), na Rua João das Regras, Porto. Mais informações sobre o evento podem ser consultadas na página do evento.