Artigo de Opinião

A VIDA NÃO É A BOLA, MAS A BOLA ESCONDE A VIDA!

João Paulo
João Paulo

Estamos no mês do mundial onde tudo parece girar em torno dessa bola, a bola do mundial. Portugal não poderia ter começado melhor, 4 a zero deixou colados ao chão milhares de portugueses que rezaram, pedalaram, conduziram em apoio a uma seleção que algumas vezes apenas os ignorou. Veja-se quando estiveram em Óbidos, houve quem esperasse horas apenas para os ver, para receber um adeus, para poder tocar com um dedo, e que fizeram as vedetas, ficaram retidas no ar condicionado do hotel, entre treinos à porta fechada, e video games de quarto, o povo, esse nos desculpem mas não nos podemos aborrecer com isso. Mas depois olha lá o resultado, levam no corpo logo na primeira tentativa, e levam forte e feio, deixando aquela réstia de esperança de algo bom, de algo que abstraia o povo dos sacrifícios a quem tem disso obrigados.

Contudo se por um lado compreende-se esta procura de uma distração de algo positivo no meio deste escuro, por outro fica estranho o estado de dormência em que se encontram perante o espetáculo, parece que nada mais interessa.

Esquecemos as televisões que não se ligam porque foram vendidas para pagar sustento, e das que não se ligam porque não se tem luz em casa, ou porque não se tem casa para ter luz.

“Três anos depois do resgate da dívida, o Fisco penhora uma média de 189 casas por dia. Os dados são do Banco de Portugal. A manchete é do Diário de Notícias.”

Diz o povo que “com o mal dos outros, vivo eu bem” sim tem o seu quê de verdade mas, cá como lá, no Brasil, as coisas não estão bem.

Despendeu-se somas mais que avultadas para fazer bonito numa nação enfeitada pela pobreza, pelo crime e pela corrupção.

Uma vez mais lá como antes cá, o povo é ludibriado com o espetáculo da bola, um espetáculo nem sempre bonito, dignificante ou motivo de ser de “role model” para os milhões e milhões de jovens e menos jovens que devoram futebol.

O Brasil não mudou, veja-se um direto televiso intenso e desmotivante para seguir qualquer mundial. As manchetes de cá e os diretos de lá deviam envergonhar todo o ser humano, deviam fazer entender que precisam não se deixarem enganar pelo show da bola que fazendo parte desta vida, a vida nua e crua é bem mais que uma bola chutada por milhões e enfeitada por biliões.

Save