Devaneios

AS COISAS QUE MAIS GOSTO NA VIDA – A PROPOSTA.

Bernardo Machado
Bernardo Machado

Nesta rubrica irei abordar temas fofos, exclusivamente. Tudo o que me faz contrair os músculos da cara para produzir aqueles meus ternos sorrisos, tudo o que me dá aquela alegria imensa de viver, que às vezes até maça. Enfim, tudo aquilo que me rodeia e que acho deveras belo e bonito será aqui meticulosamente explicitado.

Prometo falar de gatinhos recém-nascidos, de hamsters de boca cheia, das risadas dos bebés, de cachorros Basset Hound com os olhos esbugalhados e, claro, do Nel Monteiro e do Júlio Isidro!

Vamos, portanto, escrutinar assuntos cor-de-rosa; e, se possível, pintar o arco-íris na testa e nas bochechas…

 

As coisas que mais gosto na Vida I

Queria começar por maravilhar-me publicamente com as pessoas que andam de telemóvel na mão a partilhar música com os seus ilustres concidadãos – horrenda por sinal! Ele é nos autocarros, ele é no metro; eles andam aí, podendo mesmo aparecer ao virar de cada esquina!

Falamos de uma situação mais grave e tortuosa, a meu ver, que Testemunhas de Jeová distribuidores de panfletos e outros derivados de fibra de celulose que possam fornecer a Salvação ao leitor! Sem dúvida, prefiro mil vezes, e uma outra, ser assaltado pelos funcionários do Senhor a levar com aqueles biqueiros tremendos nos meus canais auditivos.

Mais – como se todo este flagelo não fosse por si só suficiente, os indivíduos em causa ainda fazem questão de fechar a mão em túnel ali na zona de saída do som, de modo a ampliar o sofrimento de todos aqueles que por azar com eles se cruzam. Era reunir uma equipa de corajosos voluntários – psicólogos, sociólogos, funcionários da Fnac… – capazes de explicar com toda a paciência a esta gente que a dado momento da História houve um tremendo passo na civilização que foi a invenção de auscultadores!

Eu não sou a favor de holocaustos – acho uma coisa tremenda, desumana – mas que exterminava, exterminava.

Save