Devaneios

ALMA MATER

Num mundo sem honradez,

É grande a pequenez,

E são considerados bobos,

Aqueles que são cães entre as ovelhas

E as protegem dos lobos!

 

Num contexto desregulado,

Em que o sono é profundo

Respira o ópio, dorme drogado!

Adormece para esse mundo!

 

Num universo que não é aleatório,

E se rege pelas suas leis,

Os Homens ou sobem ao promontório,

Gritam verdade e sublimam um código notório

Ou nunca poderão ser reis!

 

Num plano utópico que é meu e nosso

Nado, envolto em plenitude,

Nado, absorvido em virtude,

Encontro algo que é meu e vosso!