Crónica

CHEGADO UM NOVO ANO

Chegado um novo ano, todos nós prometemos estudar o dobro, mas também prometemos que vamos sair mais e aproveitar melhor a vida. Portanto, vamos conseguir finalmente combinar as duas coisas na perfeição e ser tão bons alunos quanto “socialões” natos. Em Março, pouco depois do início do segundo semestre (e da primeira negativa), apercebemo-nos de que, muito provavelmente, não vamos conseguir ser nenhum dos dois e arrependemo-nos de não ter dedicado uma dose maior de passas à faculdade.

Também é quando se inicia um novo ano que normalmente nos propomos a beber um litro e meio de água por dia e a fazer mais exercício físico. Só que em breve notamos que a garrafa de 1,5L é trocada pela de 0,33 e que já só bebemos um copito de água às refeições. Como se não bastasse, as caminhadas matinais que fazíamos no início de janeiro diminuem cada vez mais até só nos lembrarmos novamente delas quando chega o bom tempo.

Enquanto ouvimos o fogo de artifício, sentimo-nos no topo do mundo, audazes e prontos para um novo começo. E, entretanto, passam-se doze meses e tudo continua na mesma: continuamos a não fazer exercício físico nem a beber água suficiente… mas, afinal de contas, podemos sempre deixar para o ano seguinte.

 

(Escrito ao som de “Get Low” de James Vincent Mcmorrow)