Artigo de Opinião Opinião

A (in)certeza do futuro

Planos e sonhos vêm e vão. Muitas vezes desistimos de correr atrás do que realmente queremos por diversos motivos, e substituímos os sonhos antigos por novos. Mas em momento algum deixamos de sonhar ou de pensar no futuro.

O futuro, por vezes, amedronta-nos. Ele pode revelar-se a melhor parte das nossas vidas, mas também a pior.

O que é o futuro? Aparenta ser algo distante, mas pode chegar a qualquer momento. O futuro de ontem já o estamos a viver neste momento e o dia de hoje será o futuro de amanhã. Enquanto lemos esta frase, já estamos a viver o futuro, em relação ao momento em que começámos a ler este texto. O passado, o presente, o futuro e tudo o que está relacionado com os espaços temporais é confuso e difícil de reflexionar. Porque o tempo, efetivamente, não existe, é algo subjetivo que só existe na nossa mente.

A preparação para um futuro grandioso começa na infância; quando crianças, aprendemos o que é necessário para irmos construindo o nosso futuro. Planos e sonhos vêm e vão. Muitas vezes desistimos de correr atrás do que realmente queremos por diversos motivos, e substituímos os sonhos antigos por novos. Mas em momento algum deixamos de sonhar ou de pensar no futuro.

O futuro não tem um fim definido. Ter sonhos e um projeto de vida para o futuro é benéfico. É isso que nos guia e nos transporta ao ritmo do tempo. São aspirações, razões maiores que nos motivam a seguir em frente e a viver, dia após dia. Para uns, a razão para se levantarem de manhã pode ser os seus entes queridos; para outros, o amor à profissão. Os sonhos são diferentes e podem mudar com o passar do tempo. O que não muda é o estado de satisfação que eles produzem uma vez que os realizamos, quando alcançamos os objetivos com o nosso próprio esforço. Mesmo quando não somos bem-sucedidos, sentimos uma satisfação por termos tentado. Com isso, vamos lutando no presente, vivendo um dia de cada vez, à medida que cumprimos os nossos objetivos, com a ânsia de um futuro perfeito. É a corrida até à meta: ao longo do caminho existem pedras e ramos caídos a impedir o percurso, mas conseguimos ultrapassá-los e chegar ao final da corrida, o futuro que sempre desejámos. É com essa finalidade que os esforços para atingirmos o objetivo pretendido são realizados.

“E se eu não conseguir realizar os meus sonhos?”. Com a passagem do tempo, surgem as questões, que nos inquietam. Ninguém tem medo do passado. Ele é sempre seguro, porque já aconteceu. Mas às vezes, olhamos para nós próprios e pensamos na pessoa que somos e na pessoa que queremos ser. Precisamos de tomar decisões que nos comprometem no presente, para que ofereçam frutos no futuro. Temos de avaliar bem quem somos e o que queremos conseguir no dia de amanhã, juntamente com os prós e os contras.

O futuro é incerto, não sabemos como será o dia de amanhã. Mas devemos tentar não encarar o futuro de modo tão negativo, apenas viver e acreditar que o ‘bom amanhã’ está por vir. Um passo de cada vez. O futuro dos sonhos não precisa de se manifestar agora, é fundamental usufruir do que temos hoje e procurar desfrutar todos os dias o que a vida nos proporcionar. Um futuro brilhante aguarda-nos. Resta-nos estar preparados para o receber de braços abertos.