Crónica Opinião

DESPORTO E CORRUPÇÃO

Praticar desporto é essencial, não só para a saúde física, como também para a saúde mental. Acabei por rimar, mas que não se fique com a ideia de que se trata de uma frase feita, porque sei por experiência própria que não o é.

A vida não se pode resumir a estudar ou trabalhar, comer e dormir, há que procurar ter tempo para outras atividades, caso contrário não vivemos realmente. Uma dessas atividades, para muitas pessoas (infelizmente não para todas), é o desporto. Na minha opinião, o desporto coletivo é a melhor opção, porque além de promover um corpo saudável e uma fuga à por vezes pesada rotina, o facto de se estar inserido numa equipa cultiva o espírito de entreajuda, de união e dá amigos para uma vida inteira. Pratiquei andebol durante uma década, mas gostava de ter praticado este desporto por muitos mais anos – o desporto também tem coisas más, nomeadamente as graves lesões, mas a parte positiva é incomparavelmente superior, pois fazemos parte de algo maior que nós próprios e lutamos, juntos, por um objetivo comum, que é vencer.

Para meu grande descontentamento, o desporto, nomeadamente o futebol (desporto mais valorizado no nosso país e, talvez, no mundo), tem vindo a ser vítima de esquemas de corrupção, de sedes de poder e de dinheiro. Ou seja, algo que é tão bonito e que une as pessoas (quer as que estão dentro de campo quer as que das bancadas, dos sofás e das mesas de esplanadas apoiam as equipas) está a ser completamente desvirtuado. Não se compreende aquilo a que se tem vindo a assistir no futebol português – num dia um árbitro tem um critério, noutro dia tem outro; num dia um jogador faz um excelente jogo, noutro dia é notória e estranhamente a razão de a sua equipa perder. E num piscar de olhos, aquele jogo que as pessoas tanto ansiavam ver, revela-se um jogo que vai muito para além do campo. Como se isso não bastasse, casos comprovados de corrupção nos clubes são deixados passar em branco na justiça, o que contribui para alimentar o sentimento de revolta e de aversão face a um sistema que encobre crimes e que deixa que o desporto seja transfigurado desta forma.

Resta dizer que praticar desporto é sempre uma boa ideia, sempre! Quanto às pessoas que se aproveitam do espetáculo que ele é, há que acreditar que mais tarde ou mais cedo serão levadas à justiça e substituídas por verdadeiros amantes das modalidades, que querem alcançar o sucesso sem procurar atalhos.

Artigo de Sofia Torres. Revisto por Adriana Peixoto.