Crónica Opinião

PORTUGAL E A SUA PEQUENEZ

Portugal, um país pequeno localizado no extremo sudoeste da Europa, cada vez passa menos despercebido. “Portugal está na moda”, como muito se tem ouvido, e não é por acaso: paisagens deslumbrantes, gastronomia variadíssima e temperaturas invejáveis tornam o nosso país uma cada vez maior atração para visitantes de todo o mundo.

Pois é, podíamos ter um país perfeito, mas não é bem assim. Para os portugueses, não interessa nada que o Cristiano Ronaldo fuja ao fisco, o que importa é que é o melhor jogador de futebol do mundo e é português. Aliás, precisamente por causa disso, grande parte da nossa população descartou de imediato a acusação de violação que lhe foi dirigida. E muito mais há para dizer deste maravilhoso país: todas as televisões estão ligadas na CMTV, para não escapar nada; a Cristina Ferreira ir para a SIC foi um drama nacional que chocou multidões, tal como aconteceu quando morreu a princesa Diana; o futebol é sempre o assunto do momento, quer faça chuva quer faça sol, quer tenha havido um tsunami na Indonésia quer tenha havido um tiroteio nos EUA. Enfim, os portugueses preocupam-se mesmo com coisas sérias…

A par disto, não podemos esquecer os níveis estrondosos de corrupção que assolam o nosso país. Podíamos ser ricos, muito ricos, se quem nos governa não quisesse esse privilégio apenas para si e para os seus. A justiça, infelizmente, ajuda – quem não tem nome nem dinheiro é efetivamente condenado pelo crime que cometeu, mas quem tem poder facilmente sai impune.

Chegamos ao ponto de sermos completamente desacreditados no sistema democrático. Nunca ouvi tantas pessoas a dizer “não sei em quem votar”, o que devia fazer soar alarmes bem altos nas cabeças dos nossos representantes, mas isso não acontece, porque agora estão todos mais preocupados com o planeamento da campanha, que é como quem diz que estão a ver o que fazer e dizer para enganar mais uma vez o povo, povo este que é ignorante e manipulado pelos órgãos de comunicação social.

Infelizmente, como já se percebeu, não vejo Portugal como um “pequeno grande país” – é apenas pequeno. Anseio o dia em que direi “amo o meu país”. Por agora, vejo-me obrigada a dizer “amo o meu país, mas…”.

Artigo de Sofia Torres. Revisto por Adriana Peixoto.