SOBRE CIDADANIA – Jornal Universitário do Porto
Opinião

SOBRE CIDADANIA

A liberdade é algo que não se verbaliza, existe em essência, tal como as normas de conduta e moral. Não necessitamos de estampar em lugar algum regras a cumprir para se ser um cidadão em harmonia com a sociedade pois é algo inato em nós e que nos é incutido desde sempre. Todavia, encontramos exemplos de comportamentos rudimentares que nos fazem questionar se de facto somos ou não uma sociedade civilizada ou ainda vivemos numa época em que rabiscar paredes era o máximo da nossa capacidade intelectual. Agressões seja a profissionais de desporto, seja a qualquer ser são um acto criminoso e não devem ser desvalorizadas. A moral e a ética são valores que se entrelaçam com a liberdade e nunca seremos verdadeiramente livres se privamos outros da sua liberdade, seja por ofensas à sua integridade física, ameaças ou qualquer outra forma de desvalorização da moral humana. A ética não se verbaliza mas concretiza-se nas suas normas para que possamos viver em harmonia.
Como podemos regozijar de ser um país livre, albergar cravos a cada 25 de Abril se nos deparamos com invasões da liberdade pessoal e desrespeito pelas vidas humanas de uma forma tão primitiva e nada fazemos? Se deixamos que a violência impere nesta sociedade, lembrem-se disto nos nossos leitos de morte: enterrem-nos em campas rasas, sem nome ou dignidade, pois não merecemos a liberdade pela qual tanta nobre gente lutou durante tantos séculos.