Águas Furtadas

A águasfurtadas foi uma publicação do NJAP que vigorou de 1999 até 2006, contou com 10 edições e destinou-se, essencialmente, à publicação e divulgação de textos inéditos, bem como de trabalhos no domínio das artes visuais de novos autores que puderam, assim, arrancar as suas obras ao anonimato, confrontá-las com outras opiniões e testá-las num “tubo de ensaio”. Abarcou um vasto leque de textos que se enquadram nos domínios da poesia, do conto breve, do drama e ainda do aforismo ou da curta reflexão filosófica.

A águasfurtadas pretendeu pôr em evidência a vitalidade cultural que pode pulsar no seio deste tipo de associações, colocando à disposição dos estudantes universitários um espaço descomprometido e livre de constrangimentos estético literários. Com uma média de 250 páginas, esta publicação incluiu uma edição áudio, gravada em CD, que acompanhava a revista e estava, dessa forma, acessível a todos os invisuais da Academia.

A águasfurtadas contou com o apoio do Instituto Politécnico do Porto, Reitoria da Universidade do Porto, Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e Ministério da Cultura.