Educação

INSTABILIDADE DE DOCENTES PREJUDICA O DESEMPENHO ESCOLAR

No que concerne à educação Portugal apresenta resultados aquém das espectativas europeias. A taxa de sucesso escolar consegue superar os números relativos a outros países da União Europeia. A contratação precária nas escolas de docentes parece não contribuir para o sucesso escolar das turmas. Por: Bruno Almeida

Os esforços traçados para combater esta realidade apontam para os 10% como taxa de abandono escolar em 2020, segundo o Público. Assim, o alargamento da escolaridade obrigatória e a reformulação do ensino podem ser medidas fulcrais que ajudem a recuperar o nível de ensino.

Estas mudanças de escolas que são observadas na classe docente devem ser combatidas para contribuir para uma maior estabilidade para as turmas, e assim levar a um maior compromisso por parte dos professores no que respeita ao sucesso escolar. A política que visa estas mudanças já se encontra em curso e apostam no reforço da autonomia e flexibilidade curricular.

A grande questão que parece ser um entrave ao progresso dos resultados no desempenho das turmas é a instabilidade da educação que acaba por contrariar as expectativas lançadas para melhorar este problema. Os interesses e qualificações procurados pelas escolas para a contratação dos docentes podem ser outro fator a ter em conta neste quadro anual.

Na opinião de Jorge Sarmento Morais, “é necessário conciliar os interesses das escolas e dos seus profissionais. Aquilo que temos que fazer não é impedir a mudança de escola, até porque, em muitas situações, ela pode fomentar ganhos para o enriquecimento dos projetos pedagógicos. O que importa fazer é combater todas as medidas que promovam a instabilidade e dar condições para que as escolas melhorem o seu trabalho pedagógico.”

Por fim, não existem recursos humanos que possam satisfazer as necessidades apresentadas neste setor, e observa-se estas questões nos resultados estáticos das colocações dos professores.

Artigo da autoria de Bruno Almeida