Educação

IJUP: ESTUDANTES INVESTIGADORES EM MOMENTO DE PARTILHA NA U.PORTO

Num encontro de três dias, organizado pela Universidade do Porto, estudantes de diversas áreas de conhecimento apresentaram e discutiram os projetos de iniciação à investigação que têm desenvolvido.

A Reitoria da Universidade do Porto foi palco, de 13 a 15 de fevereiro, de um evento que reuniu estudantes das mais diversas áreas de estudo, dispostos a apresentar projetos científicos a professores, investigadores, estudantes e comunidade em geral. Denominado de IJUP, Encontro de Investigação Jovem da Universidade do Porto, o programa envolveu participantes do 1.º Ciclo, do 2º Ciclo e do Mestrado Integrado da U.Porto, tendo, assim, um público de diferentes faixas etárias e de variadas experiências com educação e pesquisa. O JUP esteve presente no evento e acompanhou algumas das apresentações.

Os trabalhos dos estudantes

Raquel Santos foi uma das jovens que aceitou o desafio e escolheu apresentar o seu trabalho Medical students’ learning styles: the correlation with academic success and adherence to computer-assisted learning in anatomy” na sessão de Psicologia e Ciências da Educação. A estudante de Medicina contou que foi sua primeira vez a participar do IJUP, embora já tenha antes estado em um outro congresso.

A jovem de 21 anos disse que foi um desafio fazer a apresentação oral, pois considera-se uma pessoa tímida, mas afirmou que foi recompensador. Quando questionada pelo JUP do porquê apresentar em português, disse que, é importante a valorização da língua portuguesa, visto que nos congressos internacionais já é necessário apresentar em inglês.

Para além da apresentação oral, o projeto podia ser mostrado na forma de poster. Bianca e Joelen foram dois casos de jovens que optaram por essa modalidade.

Também Bianca Rodrigues, de 22 anos, disse ser a primeira vez no IJUP. Para a estuante de Biologia, que estava a apresentar a pesquisa “did no-till cropping practices minimize the effects of groundwater salinity in Estarreja’s agricultural region?”, o encontro foi uma experiência nova e boa. Quando indagada do porquê da opção pelo poster, afirmou: “eu sou um bocado nervosa e assim é um bocado mais simples, não é tanta pressão”.

Joelen Silva, de 24 anos, com o projecto “the pisciculture in the municipality of Cachoeira do Arari, Marajó archipelago, eastern amazon, Brazil”, veio pela primeiro ao IJUP. Para a estudante, o evento estava bem organizado, o que permitia “uma certa liberdade para conhecer os outros trabalhos” e ler os posters com tempo.

Assim, com trabalhos que versaram da Biologia à Literatura, tendo cerca de 900 estudantes inscritos e 470 projectos científicos, o IJUP foi um momento de partilha, desafio e aprendizagem para jovens investigadores que puderam apresentar o que têm desenvolvido de melhor nas suas faculdades.

Segundo o site do IJUP, o intuito do encontro científico, que se realizou pela 12º vez, é incentivar os estudantes da U.Porto a envolverem-se, o mais cedo possível, em atividades de I&D. Destacam ainda a necessidade de “facilitar o contacto dos estudantes com as metodologias de criação de conhecimento e a sua compreensão das dinâmicas específicas desse processo” e  “fomentar a discussão pública dos resultados dos trabalhos desenvolvidos, apoiando a participação dos estudantes da U. Porto em encontros científicos interdisciplinares”.

 

Marcela Balbão