Educação Política

BRUXELAS: JOVENS PORTUENSES DISCUTEM O PAPEL DA CULTURA NO FUTURO DA EUROPA

Três estudantes da Escola Aurélia de Sousa foram as participantes portuguesas no “Your Europe, Your Say”. O programa é organizado pelo Comité Económico e Social da União Europeia, em Bruxelas.

Alice Ferreira, Iara Rocha e Mariana Tavares, estudantes do 11.º ano do curso de Humanidades da Escola Secundária Aurélia de Sousa, no Porto, foram as representantes portuguesas no programa “Your Europe, Your say”, patrocinado pelo Comité Económico e Social da União Europeia.

O objetivo do programa é promover o debate de ideias entre os alunos e a formulação de propostas sobre o futuro da Europa. O tema em destaque este ano incidiu sobre o papel da juventude na promoção da cultura europeia.

Todas as propostas apresentadas pelos estudantes são publicadas pelo Comité Económico e Social, que adota as três ideias mais votadas como resoluções, a apresentar aos três órgãos da União Europeia (Comissão, Conselho e Parlamento Europeu).

“Esta experiência traz-nos uma perceção completamente diferente da Europa”

Um sentimento europeísta

Durante dois dias em Bruxelas, as estudantes puderam conhecer a instituição e a sua função enquanto órgão europeu influenciador de políticas europeias.

Em entrevista ao Público, as três jovens revelaram que conectaram com um ambiente que esperam reencontrar no seu horizonte profissional. Alice procura trabalhar numa via mais ligada à resolução de conflitos enquanto Mariana se interessa pelo trabalho em instituições europeias ligadas à cultura. Iara, por sua vez, prefere uma carreira na representação, o que para ela não será um entrave à sua “voz política, por exemplo, no debate dos temas da igualdade das mulheres”.

No final do programa, as estudantes portuenses deram ênfase ao sentimento europeísta que cresceu dentro delas ao conectarem com a pluralidade de jovens dos vários países participantes.

“Esta experiência traz-nos uma perceção completamente diferente da Europa. Agora sinto que me posso relacionar mais facilmente com a uma frase de uma das oradoras, a actriz Daphne Patakia, que disse que mais do que identificar-se como grega ou como belga, o que sente é que é europeia”, diz Alice Ferreira.

Para Mariana, contudo, a experiência não acaba por aqui: após apresentar uma das propostas mais votadas por todos os participantes, isto garantiu-lhe um convite da Comissão Europeia para participar na próxima Semana da Juventude, que decorrerá em maio de 2019.

Da escola à União

Por acaso ou não, o tema alvo de reflexão na União Europeia tinha debatido na semana das Humanidades na Escola Aurélia de Sousa. O assunto levou os alunos a pensar sobre a defesa do património.

As propostas do grupo de Mariana Tavares submeteram dois projetos concretos: a criação de uma “Casa da Gastronomia Europeia” em cada Estado-Membro, para promover os pratos típicos de cada país, assim como a criação de um novo programa de apoio à produção artesanal, incluindo uma plataforma e loja online.

Esta ideia ficou em primeiro lugar, nas votações finais, juntamente com outra que envolvia a aprendizagem de uma língua estrangeira. Esta instrução de uma nova língua dar-se-ia através de programas que vão de encontro com os interesses culturais associados, como a pintura ou a música.

Outras ideias exploradas foram a interligação do couchsurfing e o interrail, o financiamento de programas de apoio à produção artística, a criação de bases de dados que reúnam livros, músicas ou filmes das mais variadas culturas ou até mesmo um intercâmbio de professores.