Educação

CARTA ABERTA: “UM PAÍS SEM EDUCAÇÃO, É UM PAÍS SEM FUTURO”

Em Carta Aberta, as associações académicas do ensino superior revelam descontentamento e fazem exigências. Em causa estão as promessas das legislativas de 2015 e os problemas com o complemento de alojamento.

Num comunicado publicado na Federação Nacional de Associações de Estudantes do Ensino Superior Politécnico (FNAEESP), as várias associações revelam “desilusão” pela “postura adotada pelo Ministério”. O sentimento deve-se às promessas feitas no programa eleitoral do PS, nas legislativas de 2015. Acusam o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de “priorizar a Ciência e a Tecnologia”. Consideram que o ensino superior foi “negligenciado”, não havendo melhorias significativas para os estudantes mais carenciados.

No Encontro Nacional de Direções Associativas de 2015  foram expostas problemáticas comuns, assim como possíveis soluções. Em Carta Aberta, as associações admitem terem atingido “o limite”. Exigem ao Ministério mais atenção ao ensino superior, assim como a transferência dos orçamentos para as Universidades e Politécnicos.

“Exigem o que lhes fora prometido, por um país melhor”

Em contrapartida, salientam a revisão do Regulamento de Atribuição de Bolsas e a eliminação do programa Retomar. Frisam que, em vésperas de Natal, os estudantes alojados em residências académicas foram avisados da necessidade do pagamento do alojamento, mesmo antes de receberem o complemento. A situação gerou polémica, já que, de acordo com o Art. 19º, ponto 2 – Despacho nº 5404/2017, de 21 de junho, esta exigência não poderia ser feita.

Numa altura em que se questiona o abandono universitário e os problemas financeiros dos estudantes,  diversas associações estudantis e universitárias dispersas pelo país subscrevem a missiva enviada ao Professor Manuel Heitor. Entre elas encontram-se a AL, AAUAV, AAUM, AAUTAD, FAP, FNAEESP e FNESPC. Exigem o que lhes fora prometido, por um país melhor.