Educação

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO POSSIBILITA ALUNOS DE MUDAREM A SUA ESCOLA

Foi apresentado, no passado dia 14 de fevereiro, o Orçamento Participativo das Escolas, cujo objetivo é dar aos estudantes a “possibilidade de decidirem o futuro da sua escola”.

A Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves, situada em Valadares, Vila Nova de Gaia, foi o palco escolhido pelo Ministro da Educação para a sessão de apresentação e discussão de ideias sobre o Orçamento Participativo.

À semelhança do que acontece com algumas autarquias, o Ministério da Educação vai disponibilizar a todos os estabelecimentos de ensino público com 3.º ciclo e secundário uma verba a partir de 500 euros para concretizar cada projeto vencedor.

Segundo Tiago Brandão Rodrigues, Ministro da Educação, esta nova medida tem como finalidade não só financiar propostas dos estudantes, mas também dotar os alunos de “capacidade de tomar decisões”, assim como ajudá-los a “compreender o funcionamento das instituições democráticas, apelar ao espírito de cidadania e participação e proporcionar momentos de debate entre estudantes do 7.º ao 12.º ano de escolaridade”.

O Ministro da Educação acrescenta que “todos os alunos vão ter uma verba adicional para debater, para que possam ser incentivados nos processos democráticos e concretizem assim as suas propostas”. As ideias devem servir para melhorar toda a comunidade escolar, seja para “comprar e melhorar equipamentos ou ajudar no projeto pedagógico”.

Após refletirem, determinarem e estruturarem o seu projeto, os alunos têm até ao final do mês de março para promover as suas propostas e transmitirem aos colegas o que gostariam de fazer ou ter na sua Escola, tentando convencê-los de que a sua ideia é a melhor. O passo seguinte será uma votação, que irá ocorrer no dia 24 de março, Dia do Estudante, através da qual será selecionada a proposta vencedora.

O Ministro destacou os critérios para as propostas irem a votos e o facto de serem os próprios alunos a fazer campanha pelos seus projetos. Segundo este, “os alunos têm de encontrar apoiantes para as suas propostas”. “Temos de ter 5% dos estudantes a subscrever, tal como acontece com as eleições”, acrescentou.

Quanto à escolha do estabelecimento para a realização deste evento, Tiago Brandão Rodrigues salientou os trabalhos que têm sido realizados com a escola gaiense e com o próprio município de Gaia, afirmando que aquela escola se trata de “um parceiro importante”.