Educação

ELEIÇÕES NA FAP: “ESTUDAR VALE A PENA”

Esta segunda-feira (dia 5) o Ateneu Comercial do Porto assistiu ao momento histórico da tomada de posse da primeira mulher presidente da Federação Académica do Porto (FAP). O JUP acompanhou a cerimónia.

Com “orgulho” e “sentimento de dever cumprido”, as palavras de Daniel Freitas, presidente cessante da Federação, foram de “melancolia e saudade”, após dois mandatos consecutivos (2015 e 2016). No entanto, Daniel Freitas acredita que Ana Luísa Pereira e toda a sua equipa estão “perfeitamente preparados” para “construir sobre os alicerces” que deixou.

Testemunha deste legado, o painel convidado foi composto por personalidades como: João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e do Desporto; Guilhermina Rego, vice-presidente da Câmara Municipal do Porto (CMP); Sebastião Feyo de Azevedo, reitor da Universidade do Porto (UP); Rosário Gambôa, presidente do Instituto Politécnico do Porto (IPP); António Rangel, diretor adjunto para a Investigação e Internacionalização do Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa (UCP); Francisco Castelo Branco, provedor do estudante da Universidade Lusíada do Porto (ULP); Armando Jorge Carvalho, presidente da entidade instituidora da Universidade Portucalense Infante D. Henrique (UPT); Paulo Parente, presidente da Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP).

A mensagem passada foi unânime, ficando clara a missão da FAP como agregadora da Academia e o importante papel na valorização da Educação, um dos grandes pilares da Federação. “A nossa preocupação são os estudantes e a nossa prioridade a educação”, sublinhou Ana Luísa Pereira.

Estudantes esses que “são parte do Portugal que avança hoje” e representam o “futuro”. Na opinião da presidente, é necessário, então, mostrar que “estudar vale a pena” e que se podem discutir todos os assuntos. As propinas, matéria que está sempre em cima da mesa, não devem ser “tabu” e a recém-presidente foi mais longe: “Porque não as abolimos? Quanto custaria?”.

Fazer disto um desafio e uma questão a ser pensada foi o que Ana Luísa Pereira quis deixar aos presentes. Ao contrário da questão de género, que a presidente eleita acredita nem sequer se pôr, uma vez que “as mulheres vão conseguindo ocupar o seu espaço com a sua competência”.

Para Daniel Freitas, ter uma mulher à frente da FAP é resultado do “crescimento natural”, da evolução dos tempos e uma mais-valia, “quer para a Ana, quer para a Federação”. Numa altura em que as mulheres representam uma maioria no Ensino Superior, Daniel Freitas confessou ao JUP que acredita que o momento histórico que agora começa “possa, de alguma forma, ajudar a uma mudança social de reconhecimento das mulheres e da sua competência em todos os cargos, tal como os homens têm”.

As eleições

De relembrar que a Lista A, única candidata às eleições para a FAP, foi a votos esta quarta-feira (dia 30) com a presença de 23 das 27 associações-membro da Federação.

Ana Luísa Pereira foi eleita para a direção, é a 19ª presidente e a primeira mulher neste cargo. A estudante da ESTSP contou com 20 votos a favor, um branco e dois nulos.

Para a Mesa da Assembleia Geral os votos foram iguais, enquanto para o Conselho Fiscal a Lista A recebeu 21 votos a favor e dois nulos.

A equipa

Pedro Queiroga, aluno do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP), assume a função de tesoureiro. Luís Ferreira, da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica do Porto (FEG UCP), e Rodrigo Medeiros, da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), são os que ocupam o cargo de vice-presidente. Stephane Azevedo, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), ocupa o lugar de secretário-geral. Cláudia Esteves, da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto (FMUP), Francisco Sousa Vieira, também da FMUP, José Diogo Pimentel, do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), e Pedro Castro, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), são vogais.

Na mesa da Assembleia Geral, Tiago Oliveira, do ISCAP, assume a presidência. Bárbara Brito, da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP), é vice-presidente e Mariana Mota, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP), é secretária.

No Conselho Fiscal, Rui Pedro Pinto, da Universidade Lusíada do Porto (ULP), é presidente. Tito Nogueira, da Faculdade de Teologia do Porto (FTP), é relator, enquanto Mariana Silva, estudante da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP), é secretária.