Ciência e Saúde Educação

SIMPÓSIO DE BIOENGENHARIA VOLTA À FEUP

O Simpósio de Bioengenharia volta a decorrer entre 22 e 23 de abril na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). O JUP esteve à conversa com Sofia Assis, Vice-Presidente do Núcleo de Estudantes de Bioengenharia (NEB) e Filipa Castro, Coordenadora do Departamento de Relações Externas do NEB para perceber como se vai desenrolar a atividade desenvolvida há dois anos pelo NEB – FEUP / ICBAS (Núcleo de Estudantes de Bioengenharia), mas que já vai na 7ª edição.

No dia 22, a sessão de abertura começa às 9h00, sendo o check-in realizado uma hora antes. O primeiro dia termina às 18h00. O dia seguinte inicia às 9h00 e acaba às 18h15.

Os temas das sessões passam pela Engenharia Biomédica, Biotecnologia Molecular e Engenharia Biológica, que são os três ramos da Bioengenharia. Os restantes temas tentam abranger os três ramos, como é o caso da “Simulating Life”, que apresenta uma simulação, através de um programa de computador, do corpo humano.

O empreendedorismo é um dos temas mais gerais envolvidos nestas conferências, uma vez que “a área da Bioengenharia é tão inovadora que muitos estudantes que acabam o curso estão a trabalhar, por exemplo, em startups”, afirma Filipa. O propósito é fazer um debate sobre se se deve ter a coragem de começar a envolver-se na área dos negócios.

“A escolha dos temas passou pelo que está em voga atualmente” e os assuntos que “têm os nomes que estão mais em destaque”, explica Filipa Castro, Coordenadora do Departamento de Relações Externas do NEB.

Quanto aos oradores, houve um trabalho de pesquisa por detrás. Sofia Assis, Vice-Presidente do NEB, revela que procuraram oradores que fossem “efetivamente bons” e que causassem “furor nas pessoas para virem ao evento em termos de assunto”.

O painel de oradores envolve profissionais de várias áreas relacionadas com a Bioengenharia que vão além fronteiras. Com cerca de 30 oradores que irão ter uma participação de 10 minutos cada um, o painel conta com nomes como: Nassir Navab (Technical University of Munich), Maria Pereira (Gecko Biomedical, Paris – Biomaterial para suturas cardíacas ativado a laser, Lista Forbes “30 under 30 2015”), Paulo Aguiar (I3S, NCN- Neuroengineering and Computational Neuroscience) e Miguel Castelo-Branco (Neurociências, Universidade de Coimbra, Coordenador Científico do Instituto de Imagem Biomédica e Ciências da Vida (IBILI) e Diretor do Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS)).

Uma das novidades introduzidas o ano passado no evento foi a “Speed Dating”, em que os participantes podem interagir e conhecer melhor os oradores. Esforço este que decorre da vontade de aumentar a qualidade e o ambiente motivador. “Procuramos ter bons oradores e não dar tanto foco à parte técnica, mas ao conceito e em ser motivador”, afirma Sofia.

O objetivo do Simpósio passa, deste modo, pela “divulgação da Bioengenharia” e “dar uma boa impressão” do que é o curso e “combater um bocado” os “concorrentes”, conta a Vice-Presidente do NEB. As TED talks são uma referência que os estudantes tiveram em conta durante o desenvolvimento da iniciativa: “Não digo que a inspiração seja daí, mas o conceito de ser motivador ao invés de técnico vem daí”, revela Sofia.

O Simpósio é um evento mais dedicado aos estudantes dos ramos da Bioengenharia e áreas envolventes, mas também é para aqueles que tenham curiosidade e queiram “ouvir falar sobre fazer leite sem vacas”, “como é que se ajuda um cirurgião antes da intervenção cirúrgica”, criando “um “avatar” da pessoa para ele melhor visualizar como é que será durante a cirurgia”, exemplifica Sofia Assis.

Para este ano, as expectativas estão altas. As estudantes esperam à volta de “500 pessoas, para encher o auditório”, afirma Sofia. As estudantes de Biomédica esperam ver na plateia pessoas de outras proveniências, como os “institutos de investigação vizinhos, o i3S” e “investigadores que já tiraram os cursos também era muito interessante”, afirma Filipa Castro.

Existem dois tipos de bilhetes: para estudantes e não-estudantes. O preço mantém-se para quem se inscreva até 24 de março, às 23h55, depois dessa data, passa de 16 euros para 19, o de estudantes e de 25 euros para 30 o bilhete para não-estudantes.

O almoço e jantar pode ser feito no local das palestras, com o custo de 12,60 euros para todos os participantes e 2,55 euros para estudantes universitários