Desporto

Andebol: FC Porto vence FC Gaia e conquista primeira vitória no campeonato

Os dragões receberam e venceram, este sábado, o FC Gaia. 43-26 foi o resultado final do primeiro triunfo da época portista. Por Daniel Henriques.

Após uma série de quatro derrotas consecutivas, a última para a Liga dos Campeões, o FC Porto estava obrigado a sair vitorioso para afastar o cenário de crise. Já o FC Gaia vinha de uma derrota na jornada inaugural do campeonato, na receção ao ABC de Braga.

Um timeout que fez a diferença para o tricampeão nacional

A entrada em jogo da equipa do FC Porto esteve longe de ser a melhor ou a mais expectável, apesar do golo a abrir de Jakob Mikkelsen. Nos primeiros minutos, ainda se verificava o sintoma da ineficácia na finalização. Por outro lado, destemido e sem nada a perder, o FC Gaia mostrou ao que vinha. Transições rápidas foram a aposta forte dos visitantes, que deram a provar um festival de contra-ataques aos da casa. O cronómetro assinalava menos de cinco minutos e já venciam por 2-4. Luís Carvalho era o jogador em maior evidência.

Vantagens de dois golos a favor dos gaienses iam imperando no placard, até perto dos 13 minutos, altura em que o treinador do FC Porto, Magnus Andersson, pediu um desconto de tempo. O timeout não poderia ter sido mais bem aproveitado pelos portistas, visto que a equipa entrou com outra determinação e eficiência nas suas ações. Seguiu-se um parcial de 5-0 para os “azuis e brancos”, com o resultado a marcar 11-8.

A capacidade de resposta do FC Gaia escasseava, o rendimento quebrava a olhos vistos e o fosso no marcador era notório. Sebastian Frandsen, guardião portista, contribuiu para os cinco minutos sem golos dos forasteiros com várias defesas. Quatro remates ao ferro na primeira parte também impediram uma aproximação gaiense no resultado. O domínio do FC Porto traduziu-se num resultado de 21-12 ao intervalo.

Superiorização da casa para a confirmação da vitória

Os jogadores portistas entraram com a intenção de ampliar as contas e de provar que estavam em “dia sim”. Mantinham-se os índices de concentração e a intensidade de jogo, não obstante o diferencial no marcador.

No final do primeiro terço do segundo tempo, a vantagem do FC Porto cifrou-se nos 12 golos (29-17). Victor Iturriza foi o autor da cortesia, para contrariar a desinspiração exibida na primeira parte. Por outro lado, Jack Thurin, lateral direito dos dragões, revelava-se uma das principais armas ofensivas, ao aproveitar a maioria dos livres de sete metros.

Apesar do desnível, os visitantes continuavam a lutar pela sua honra, mas os esforços foram insuficientes. Os dez minutos finais foram avassaladores por parte dos favoritos e o jogo ficou resolvido. 43-26 foi o resultado final, com Diogo Branquinho a fechar as contas.

Do lado dos vencedores, Jack Thurin, com oito golos, e Pedro Cruz, autor de sete, são os principais merecedores de destaque individual. Já pelos vencidos, o mais inconformado foi o central Luís Carvalho, que fez sete golos.

No final do jogo, o treinador do FC Porto, Magnus Andersson, reconheceu que a equipa entrou intranquila nos primeiros dez minutos, fruto do mau começo de época. “Perdemos bastante confiança”, confessou. O técnico sueco pediu ainda eficácia no duelo com o HC PPD Zagreb para a Liga dos Campeões: “Temos de ser eficazes para trazermos pontos”, após dois jogos em que “falhámos muitas oportunidades”.

Ao fim de duas partidas, o FC Porto soma os primeiros três pontos no campeonato. Por sua vez, o FC Gaia perdeu ambos os encontros que disputou.

Na próxima jornada, os portistas defrontam em Estarreja o AA Avanca, a partir das 18h30 do próximo sábado, dia 1 de outubro. Já os gaienses iniciam às 18h o confronto em casa perante o CF Os Belenenses.

Artigo da autoria de Daniel Henriques