Desporto

Basquetebol: FC Porto atropela Imortal BC no primeiro jogo dos playoffs

Os “dragões” receberam e venceram o Imortal BC, esta sexta-feira, no Dragão Arena, no primeiro jogo dos quartos-de-final dos playoffs. 87-46 foi o resultado final. Por Duarte Alves.

Depois da derrota nas meias-finais da Taça de Portugal frente ao Sporting Clube de Portugal (Sporting CP), no passado sábado, o Futebol Clube do Porto (FC Porto), segundo classificado na fase regular, estreou-se nos playoffs frente aos algarvios do Imortal Basket Clube (Imortal BC), que terminou no sétimo posto da tabela.

Entrada a todo o gás

Os primeiros pontos da partida (entre os quais, um fantástico afundanço de Mike Morrison) cedo demonstraram que o FC Porto estava em modo playoffs. Com aproveitamento do jogo interior, os “azuis e brancos” começaram da melhor forma o primeiro quarto, com um parcial de 13-2. 

A defesa dos “azuis e brancos” estava pressionante, ao não deixar o Imortal BC penetrar na sua fortaleza defensiva. Originou turnovers, tomadas de decisão precipitadas o que fez com que os portistas se sentissem confortáveis nestes primeiros minutos. Contudo, três triplos consecutivos dos algarvios esboçaram uma reação, mas sem grande peso na diferença pontual, visto que no ponto de vista ofensivo, os portistas correspondiam com ataques rápidos e lançamentos certeiros. Ao fim dos primeiros dez minutos, o resultado era de 21-11.

O segundo período não começou da melhor forma para ambas as equipas. Com ataques inconsequentes, muitos erros de parte a parte, fizeram com que o resultado pouco se alterasse até cinco minutos do intervalo.

Foi preciso Vladyslav Voytso, do FC Porto, com uma excelente taxa de concretização da linha de três pontos (100% nos três lançamentos que realizou) fazer despontar o marcador e alargar a distância pontual entre as duas equipas. No regresso aos balneários, os “azuis e brancos” levavam uma vantagem confortável de 15 pontos. 34-19 era o resultado.

Segunda parte de luxo

A segunda metade da partida, foi o completar de uma primeira parte de bom nível dos pupilos de Moncho López, técnico do FC Porto. Com maior profundidade de plantel, o treinador espanhol fez alguma rotação de jogadores, de forma a manter uma intensidade elevada na partida, como os playoffs assim o pedem.

Com jogadas bem elaboradas, os “dragões” conseguiram sempre ser superiores ao Imortal, que não teve resposta às várias iniciativas de jogo interior por parte de Rashard Odomes, Jonathan Arledge e Mike Morrison. 

Não foi com surpresa que o resultado se dilatou no terceiro quarto. Com cinco faltas nos primeiros cinco minutos do terceiro quarto, dificultou ainda mais a tarefa da equipa encarnada, de parar a equipa “azul e branca”.

Ao fim do terceiro período, com um parcial de 29-14, o FC Porto chegou à vantagem de 30 pontos, 63-33. O técnico Luís Modesto, do Imortal, tinha muito que falar aos seus jogadores, mas a tarefa era quase impossível, perante um conjunto portista focado e em excelente forma.

No quarto e derradeiro período, ambos os treinadores aproveitaram a diferença pontual para fazer rodar alguns jogadores menos utilizados noutras partidas para terem a oportunidade de usufruir de tempo de jogo nos playoffs.

Esta rotação feita por Moncho López, também a pensar já na próxima parte, não teve de todo um efeito de relaxe do FC Porto, bem pelo contrário. Jovens como Miguel Correia e Tiago Almeida, aproveitaram a oportunidade e estiveram em bom plano. Efeito dessa mesma boa exibição e entrega por parte dos jogadores menos utilizados, foi o parcial 24-13 a favor dos “azuis e brancos”. Nota de destaque para todos os jogadores da turma portista, na ficha de jogo, terem somado pontos. O resultado final foi de 87-46.

A nível individual, para além do destaque dado aos dois jovens acima mencionados, Mike Morrison com 16 pontos e 14 minutos, e Vladyslav Voytso com 14 pontos, foram os melhores marcadores do encontro. 

No final da partida, o treinador dos “azuis e brancos” enalteceu a boa entrada na partida, mas também alertou para a qualidade do Imortal BC, que é superior ao que foi demonstrado na partida, o que leva a ter atenção no próximo confronto, para que não haja facilitismos e arrecadem a passagem o mais depressa possível às meias-finais.

Os “dragões”, após esta vitória, podem já carimbar a passagem à próxima fase, caso consigam derrotar o Imortal BC, no Algarve, este domingo, 15 de maio, pelas 15h.

Artigo da autoria de Duarte Alves