Desporto

Andebol: FC Porto dominador avança para os “quartos” da Taça de Portugal

Os “azuis e brancos” levaram de vencida a equipa do Xico Andebol, este sábado, em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal. 20-38 foi o resultado final. Por Pedro Silva

O Futebol Clube do Porto (FC Porto) defrontou, este sábado, o Clube Desportivo Xico Andebol (Xico Andebol), em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal, no Pavilhão Desportivo Francisco de Holanda, em Guimarães. Os vimaranenses, últimos classificados do principal escalão do andebol português, receberam uma equipa portista que iria realizar o seu segundo jogo em menos de 24 horas.

Completo domínio “azul e branco”

O Xico Andebol, uma das equipas mais jovens em Portugal, tentou impor o seu estilo de jogo, mas cedo percebeu que seria impossível fazer frente a um bloco defensivo bem organizado, como o do FC Porto. No entanto, o primeiro golo do jogo foi mesmo da equipa da casa. Raúl Roque inaugurou o marcador à passagem do segundo minuto de jogo.

A equipa “azul e branca”, face ao desgaste físico a que o seu apertado calendário obriga, aproveitou-se da desorganização ofensiva da equipa da casa para começar a dominar. Com letais contra-ataques, os visitantes deram a reviravolta no resultado, aos oito minutos, com um potente remate de Djibril M´Bengue.

Se o ataque portista brilhava, com as sucessivas transições ofensivas protagonizadas pelos pontas, a defesa também não deixava a desejar. Aos onze minutos de jogo, o guarda-redes dinamarquês Sebastian Frandsen já levava quatro defesas de altíssimo nível, o que contribuia para dilatar a vantagem visitante.

A falta de soluções ofensivas da equipa vimaranense foi bem evidente. Mesmo após o desconto pedido à passagem dos 12 minutos, foram poucas as ocasiões em que a equipa do Xico Andebol conseguiu ameaçar a equipa forasteira. Os livres de sete metros e as penetrações na área dos seis metros foram as armas apresentadas pela equipa da casa, na primeira metade do jogo. 10-19 era o resultado ao intervalo.

Gestão física e exibicional

O resultado ao intervalo dissolveu as poucas questões levantadas antes do apito inicial quanto ao vencedor deste jogo. Magnus Andersson, treinador do FC Porto, anteviu isso mesmo e procedeu a uma intensa rotação de jogadores, na segunda parte. Mesmo assim, os níveis exibicionais mantiveram-se semelhantes aos da primeira metade do encontro.

A equipa do Xico Andebol entrou com fulgor e vontade de mudar o rumo dos acontecimentos, mas apesar dos esforços, a diferença de nove pontos ao intervalo não reduziu. Aliás, ao beneficiar dos sucessivos erros nas transições dos vimaranenses, a equipa portista alargou a sua vantagem para 12  pontos, o que obrigou ao pedido de um desconto de tempo, por parte do treinador do Xico Andebol, Pedro Correia.

Diogo Rêma, jovem guarda-redes portista, chamado ao intervalo, fez uma grande exibição, contabilizando um total de 13 defesas, o que fez cair por terra as ambições dos jogadores caseiros. António Areia foi o melhor jogador do lado “azul e branco”, após ter sido o melhor marcador do encontro, com um total de seis golos. Os atuais detentores da Taça de Portugal avançam na competição e ficam  à espera de saberem quem vai ser  o adversário seguinte O resultado final foi de 20-38.

O FC Porto volta a entrar em campo para defrontar o Sporting Clube da Horta, em jogo a contar para a 16ª jornada do Campeonato Nacional, na terça-feira, dia 8, pelas 22h00, nos Açores. Já o Xico Andebol  defronta o Sporting Clube de Portugal, em jogo a contar para a mesma competição, quarta-feira, dia 9, pelas 20h00.

 Artigo da autoria de Pedro Silva