Desporto

Futsal: Portugal vence a Sérvia no primeiro jogo do Europeu

A seleção portuguesa venceu, esta quarta-feira, os sérvios por 4-2. Os lusos entram assim com o pé direito no EURO 2022, competição na qual tem objetivo de revalidar o título que lhes pertence. Por Diogo Borges

A Seleção Nacional defrontou, esta quarta-feira, os sérvios no jogo inaugural do Europeu. Sem público e sem Ricardinho, que se retirou das competições ao serviço dos portugueses, foi assim que Portugal iniciou a sua caminhada rumo à reconquista do Campeonato da Europa, onde se insere no grupo A, em conjunto com Sérvia, Ucrânia e a seleção anfitriã, os Países Baixos.

Início tremido

O jogo começou equilibrado com algum ascendente sérvio que, logo ao minuto dois, se traduziu em golo. Um erro do guarda-redes titular português, André Sousa, que cometeu penálti sobre Marko Prsic, permitiu à seleção sérvia inaugurar o marcador. O jogador que havia sofrido a falta converteu com sucesso o castigo máximo.

Esse primeiro golo sofrido não foi, no entanto, suficiente para a seleção lusa “acordar”. Os portugueses sofreram o 2-0, apenas quatro minutos depois, com Prsic a voltar a escrever o seu nome na lista e a colocar em sentido os portugueses. 

A falta de concentração e de combinação entre os jogadores lusos impediu que estes resolvessem um lance em que o golo ainda foi adiado por André Sousa, que defendeu os dois primeiros remates. Foi nessa altura que Jorge Braz, Selecionador Nacional, decidiu “reunir as tropas” e recorrer ao time-out.

Depois de conseguir por ordem no  jogo, Portugal chegou ao golo ao minuto 11, através de Pauleta que se isolou ao segundo poste depois de ser descoberto por Miguel Ângelo, que o assistiu. Estava assim reduzido o marcador que viria a estar empatado a pouco mais de um minuto do fim da primeira parte quando Pany Varela deu seguimento a uma boa condução de bola de Zicky Té e finalizou com sucesso.

Remontada à Portugal

O início da segunda parte confirmou aquilo que se vinha a adivinhar no final da primeira. Portugal mais pressionante e com mais bola. Os comandados de Jorge Braz deram poucas hipóteses à seleção sérvia e conseguiram, de forma rápida, completar a reviravolta e aumentar a vantagem, tendo feito o 3-2 e o 4-2 no espaço de um minuto.

Os golos foram assinados por Afonso Jesus e Tomás Paçó, respetivamente. Os lances que viriam a dar golo nasceram ambos de boas combinações coletivas e transições ofensivas com bastante velocidade. 

Apesar do erro inicial, André Sousa foi colecionador de várias intervenções ao longo da partida, tendo sido também fundamental para a seleção lusa vencer este encontro. Até ao final da partida, e apesar de mais uma ou outra situação de perigo, o marcador não se alterou mais e Portugal conseguiu com sucesso e tranquilidade segurar o resultado.

Em declarações, Tomás Paçó, autor do quarto e último golo da Seleção Nacional, admitiu que o início tremido no encontro se deveu a alguma ansiedade e descartou qualquer excesso de confiança. Destacou ainda que a pausa técnica após o segundo golo sérvio foi crucial. “O Mister disse para sermos nós próprios”, salientou

Portugal volta a entrar na quadra no domingo, pelas 16h30, frente à seleção dos Países Baixos, seleção anfitriã. A fase de grupos termina dia 28 quando a seleção lusa defrontar a Ucrânia.

Artigo da autoria de Diogo Borges