Desporto

Basquetebol: FC Porto derrotado pelo CAB Madeira

Os “dragões” saíram derrotados, esta sexta-feira, frente à equipa insular, em jogo relativo à 12ª jornada do Campeonato Nacional. 90-86 foi o resultado final. Por Duarte Alves

O Futebol Clube do Porto (FC Porto) viajou até ao arquipélago da Madeira, esta sexta-feira, para defrontar o Clube Amigos do Basquete da Madeira (CAB Madeira), num jogo referente à 12ª jornada da competição. Os “azuis e brancos”, que devido à falta de comparência no jogo frente à União Desportiva Oliveirense, partiam para o encontro com uma derrota, enquanto os madeirenses venceram, na última vez que jogaram, frente ao clube de Ovar.  

Entrada em falso

O FC Porto cedo percebeu que teria de se aplicar a todos os níveis para sair com a vitória da Madeira. Os madeirenses entraram inspirados a nível ofensivo e defensivo, aproveitando uma certa apatia “azul e branca”.Os homens da casa arrancaram um parcial de 18-4 nos primeiros cinco minutos da partida, o que obrigou o técnico do FC Porto, Moncho López a pedir dois descontos de tempos, de forma a reverter a situação. 

Contudo, o acerto da equipa da casa foi surpreendente, com 64,7% de concretização, o que, de certo modo, frustrou a defesa portista, que se mostrou impotente a este arranque fulminante dos insulares. O 1º período terminou 30-17.

O segundo quarto foi a réplica do primeiro, com os madeirenses a estarem irrepreensíveis no ataque. Apesar da equipa portista ter apresentado uma maior lucidez ofensiva, o capítulo defensivo não conseguia dar uma resposta capaz de abrandar o ritmo do  adversário. Ao contrário do que é habitual, o FC Porto não defendeu bem e isso refletiu-se no resultado da primeira parte. Até esta jornada, os “azuis e brancos” tinham uma média de aproximadamente 59 pontos sofridos por jogo.

Ao intervalo, o resultado foi de 55-37, o que demonstrava com toda a clareza a imposição dos madeirenses frente os portistas. A inspiração do adversário e o jogo de defesa pouco eficaz dos visitantes permitiu ao adversário estar sempre na frente do marcador.

Uma reação insuficiente 

Os “dragões” entraram melhor na segunda parte. Com o objetivo de melhorar a sua prestação, o FC Porto sabia que tinha que acelerar o jogo, ser mais criterioso no ataque e mais agressivo no aspeto defensivo, de forma a conseguir encurtar a distância e conseguiu. 

Com as excelentes prestações de Paul Jorgensen, com 16 pontos, e de Francisco Amarante, com 15, os “dragões” conseguiram reduzir a diferença no marcador. Seguindo a mesma receita do CAB Madeira, os visitantes começaram a lançar com acerto no tiro exterior e só no terceiro período marcaram sete triplos, dos 11 tentados. O resultado para o derradeiro quarto era de 75-66.

No último período, o FC Porto mostrou-se ousado ao aplicar uma defesa na zona pressionante, o que se mostrava ser um sério risco dada a excelente prestação no tiro de três pontos por parte da equipa insular. Contudo, foi assim que os “azuis e brancos” passaram pela primeira vez para a frente do marcador, a seis minutos do fim da partida.

No entanto, ao leme do jogador Jalan McCloud (29 pontos, 12 assistências), o CAB Madeira foi mais feliz num jogo emocionante até à buzina final. Apesar de o FC Porto ter conseguido chegar à vantagem, a equipa da casa conseguiu ser mais forte. No último minuto, com o jogo em 88-86, os “azuis e brancos” fizeram dois turnovers, o que acabou por ser o fator preponderante no resultado final, 90-86. 

Com este resultado, os “dragões” ocupam o quinto lugar da tabela classificativa, a dois pontos do primeiro classificado, o rival, Sport Lisboa e Benfica. Já os madeirenses estão acima dos portistas, na segunda posição, em igualdade pontual com os encarnados.

O FC Porto vai agora defrontar o Atlético Basquetebol Clube de Santo André, em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal, no domingo, às 16:00h, no Pavilhão Multiusos de Sines. Os insulares defrontam o Sporting Clube de Portugal, quarto na tabela classificativa, no mesmo dia, mas em jogo a contar para o Campeonato Nacional.

Artigo da autoria de Duarte Alves