Desporto

Hóquei: FC Porto vence UD Oliveirense e reforça liderança

Os “dragões” receberam e venceram, este sábado, a formação de Oliveira de Azeméis, em jogo alusivo à 11ª jornada do Campeonato Nacional. 3-2 foi o resultado final. Por Vitória Costa

Depois de ter sofrido a primeira derrota no campeonato, frente ao Hóquei Clube de Braga (HC Braga), o Futebol Clube do Porto (FC Porto), líder da competição, regressou ao Dragão Arena, para defrontar a União Desportiva Oliveirense (UD Oliveirense), segunda classificada. Os “azuis e brancos” pretendiam regressar aos bons resultados, enquanto os visitantes, invictos e com uma sequência de sete vitórias consecutivas na prova, procuravam dar continuidade à boa fase.

Pouco brilhantismo nos primeiros 25 minutos

A fase inicial do encontro ficou marcada pelo equilíbrio e pelo ritmo lento, com ambas as equipas a criarem poucos desequilíbrios, fator evidenciado pela escassez de oportunidades de golo, bem como pelo número reduzido de faltas realizadas pelas duas formações. 

Os primeiros lances de maior perigo junto das duas balizas surgiram à passagem do minuto dez, com destaque para o remate potente do avançado do FC Porto, Gonçalo Alves, a testar os reflexos do guarda-redes dos visitantes, Diogo Fernandes. As entradas de Rafa e Ezequiel Mena, na equipa “azul e branca”, trouxeram uma maior dinâmica ao ataque do FC Porto, perante uma UD Oliveirense muito centrada no processo defensivo. 

A intensidade do jogo foi subindo de nível e, a nove minutos do descanso, uma bola perdida pelo capitão dos “dragões”, Reinaldo Garcia, encontrou o stick de Rafa que, num belo movimento, em frente à baliza, rodou e atirou para o fundo das redes. Estava feito o primeiro golo da partida, o oitavo do avançado portista no campeonato. 

O golo deu vida ao jogo que foi mais notória nos últimos cinco minutos do primeiro tempo. No lado dos visitantes, o jogador em maior evidência foi Lucas Martínez, responsável pelas melhores oportunidades dos forasteiros, sempre com a oposição do guardião do FC Porto, Xavi Malián, que manteve as redes intocáveis. 

No último lance da primeira parte, os “azuis e brancos” tiveram mais uma oportunidade para ampliar a vantagem, num desvio de Mena que obrigou a uma excelente defesa de Diogo Fernandes. 1-0 era o resultado ao intervalo.

Final eletrizante no Dragão Arena

Depois do intervalo, e logo nos primeiros minutos, as equipas voltaram à pista com mais intensidade e com vários lances de perigo. À entrada do quinto minuto da segunda metade, Jorge Silva, um dos homens da comitiva visitante, viu cartão azul por protestos e o FC Porto ganhou um livre direto – o primeiro lance de bola parada do encontro.

Na conversão do livre, Diogo Fernandes levou a melhor no duelo com Carlo Di Benedetto, porém, no lance seguinte, o avançado do FC Porto acabou mesmo por bater o guarda-redes dos visitantes e aumentar a contagem para 2-0 a favor dos “dragões”.

Não foi preciso esperar muito para ver a equipa de Ricardo Ares voltar a marcar, já que, menos de um minuto depois, Di Benedetto, com uma brilhante recuperação de bola, assistiu Xavi Barroso para o terceiro golo dos portistas, numa altura em que ainda faltavam 19 minutos para o fim do encontro.

A intensidade manteve-se e as situações de perigo também. Diogo Fernandes voltou a defender um livre direto, desta vez cobrado por Gonçalo Alves, depois de uma falta de Lucas Martinez que lhe valeu um cartão azul. O avançado, e melhor marcador dos “dragões”, teve ainda uma grande ocasião para marcar, mas a trave da baliza da equipa de Oliveira de Azeméis impediu o festejo do jogador do FC Porto.

A equipa da casa parecia ter o controlo total do jogo e começou a adotar um registo mais cauteloso, com maior circulação de bola entre os vários jogadores, perante uma UD Oliveirense que não estava a conseguir criar ocasiões flagrantes para marcar. Do lado dos “azuis e brancos”, Reinaldo Garcia viu a barra oliveirense negar-lhe o golo, numa altura em que se assinalava a entrada nos derradeiros dez minutos da partida.

Perante o desacerto ofensivo do FC Porto, a UD Oliveirense aproveitou para marcar dois golos em menos de 40 segundos, por intermédio de Lucas Martínez. Os golos moralizaram a equipa de Oliveira de Azeméis e conferiram uma nova dinâmica ao jogo, a oito minutos do término. 

No penúltimo minuto da partida, Lucas Martínez ainda tentou aproveitar o livre direto, resultante da décima falta dos portistas, para empatar a partida, mas a Xavi Malián impediu o hat-trick do argentino da equipa visitante. Apesar da oportunidade o resultado manteve-se em 3-2 até ao apito final. 

No final do encontro, Ricardo Ares, técnico do FC Porto, destacou a qualidade do adversário e referiu que a equipa está a trabalhar para recuperar dos efeitos causados pelo Europeu. Para o treinador portista “era muito importante ganhar este jogo” para ”manter a liderança”. 

Por sua vez, Paulo Pereira, treinador da UD Oliveirense, assumiu que “já sabia que ia ser um jogo extremamente difícil” e deu os parabéns ao FC Porto pela eficácia. O técnico da formação de Oliveira de Azeméis demonstrou orgulho pela prestação da equipa que orienta. “Nunca vi o FC Porto fazer uma gestão do resultado como vi hoje, portanto é sinal que respeitou muito a Oliveirense e isso também nos deixa orgulhosos”, finalizou.

Os “azuis e brancos” voltam a entrar em campo na quarta-feira, dia oito, para defrontar o Sporting Clube de Tomar (SC Tomar), no Pavilhão Cidade de Tomar, enquanto a UD Oliveirense recebe, no mesmo dia, o Óquei Clube de Barcelos (OC Barcelos).

Artigo da autoria de Vitória Costa