Desporto

Hóquei: FC Porto vence SL Benfica num clássico escaldante

Os “dragões” receberam e venceram, esta quinta-feira, no Dragão Arena, o rival de Lisboa, em jogo a contar para o campeonato. 4-3 foi o resultado final. Por Eduardo Abreu

Depois da vitória diante do Parede Futebol Clube (Parede FC), o Futebol Clube do Porto (FC Porto) regressou, esta quinta-feira, ao Dragão Arena, para defrontar o Sport Lisboa e Benfica (SL Benfica), que vinha de duas derrotas consecutivas. À partida para o encontro, os “azuis e brancos” procuravam manter a série vitoriosa e o primeiro lugar isolado, enquanto as “águias”, que também procuravam a vitória, vinham com intenções de desbloquear a má fase.

Dragão entra a todo o gás

A partida não podia ter começado melhor para a equipa portista pois, logo no primeiro minuto de jogo, Carlo Di Benedetto colocou os “dragões” em vantagem. Um minuto depois, foi Gonçalo Alves quem ameaçou a baliza encarnada, mas valeu uma grande defesa de Pedro Henriques, guardião das “águias”.

Com uma entrada fulminante, o FC Porto mostrou-se bastante ofensivo e, aos três minutos, Gonçalo Alves lançou o contra-ataque, assistiu Carlo Di Benedetto que só teve de empurrar para o fundo das redes para ampliar a vantagem portista. À passagem do minuto 21, Diogo Rafael, defesa do Benfica, simulou falta, o árbitro sancionou o jogador com cartão azul e deu livre direto para a equipa da casa. Chamado à conversão, Gonçalo Alves não hesitou e fez o 3-0 para os “azuis e brancos”.

O FC Porto abrandou o ritmo ofensivo e viu a equipa encarnada crescer na partida. As “águias” chegaram várias vezes perto da baliza defendida por Xavi Malián, mas esbarraram na consistência defensiva dos “dragões”. Os comandados de Nuno Resende, treinador dos encarnados, ainda beneficiaram de um penálti, mas Diogo Rafael não conseguiu converter o mesmo em golo.

Águia reage, mas não evita derrota

No segundo tempo, o conjunto de Nuno Resende entrou mais forte. Logo aos cinco segundos da segunda parte, o SL Benfica beneficiou de um livre direto depois de Poka ter sofrido falta de Gonçalo Alves. O experiente avançado, Carlos Nicolía, foi chamado à conversão e fez o primeiro para as “águias”.

Dois minutos depois, o argentino voltou a deixar a sua marca na partida. Depois de uma ação faltosa, Di Benedetto foi advertido com um cartão azul, o que resultou num novo livre direto para o SL Benfica. De novo, na conversão, Nicolía disparou para o fundo da baliza “azul e branca”. Os encarnados mostravam-se mais confiantes e com o ânimo vieram as inúmeras investidas ofensivas. Contudo, o guardião portista mostrava-se presente sempre que era chamado a intervir. 

Enquanto o FC Porto tentava reagir, o SL Benfica mantinha a defesa organizada e apostava no contra-ataque. Esta tática acabou por resultar quando, aos 16 minutos, Nicolía recuperou a bola, tocou para Lucas Ordoñes que, de forma categórica, fez o 3-3, numa bela jogada individual. 

O jogo estava quente dentro do ringue e, nas bancadas, o público portista puxava pela equipa. Ambas as formações perderam duas chances de ouro para ampliar a vantagem. A primeira, aos 13 minutos, esteve nas mãos de Di Benedetto que, isolado, atirou por cima. Ainda no mesmo minuto, Diogo Rafael atirou a bola ao poste, num lance que podia ter assinalado a remontada encarnada. 

No entanto, os pupilos de Ricardo Lozano, técnico dos “dragões”, foram mais eficazes e aos 12 minutos, após uma jogada de insistência dos dragões, Carlos di Benedetto voltou a surgir em cena e fez o quarto para o FC Porto. Até ao fim da partida, o conjunto portista falhou um livre direto pelas mãos de Gonçalo Alves e perdeu a chance de marcar o quinto, quando Ezequiel Mena disparou para grande defesa do guardião “vermelho e branco”. O jogo terminou nuns renhidos 4-3 e com os ânimos visivelmente exaltados. 

No final do encontro, Ricardo Lozano começou por agradecer e dedicar a vitória aos adeptos. O técnico portista afirmou que “houve duas partes totalmente diferentes”, onde na primeira se fez ver uma “exibição quase perfeita” dos dragões e na segunda “uma grande capacidade de saber sofrer”. O treinador espanhol considerou que a sua equipa “está no bom caminho, mas é necessário trabalhar mais”.

Nuno Resende não prestou quaisquer declarações aos órgãos de comunicação social.

O FC Porto segue invicto e com 21 pontos. Já as águias somam a terceira derrota consecutiva e encontram-se no sétimo lugar da tabela classificativa.

O FC Porto prepara-se agora para a deslocação a Viana do Castelo, para defrontar a Associação Juventude de Viana, nona classificada, no dia 26 de outubro, terça-feira, para a oitava jornada do campeonato. Para a mesma jornada, mas antes do encontro dos “dragões”, o SL Benfica vai receber o Óquei Clube de Barcelos, colocado no terceiro posto, no dia 25 de outubro, segunda-feira.

Artigo da autoria de Eduardo Abreu