Desporto

U.Porto conquista o ouro nos CNU de Atletismo ao Ar Livre

Os representantes do Ensino Superior do Porto conseguiram um total de 25 medalhas durante as competições que decorreram, entre 5 e 6 de junho, em Leiria. Por Francisca Santos

Este fim de semana, a cidade de Leiria foi palco dos Campeonatos Nacionais Universitários (CNU) de Atletismo ao Ar Livre. A competição juntou dezenas de estudantes-atletas e contou com a organização local do Instituto Politécnico de Leiria.

Logo no primeiro dia de competição, a Academia do Porto conquistou dez das 25 medalhas arrecadadas durante a totalidade do evento. No triplo salto masculino, prova que abriu estes CNU, Tomás Dinis, representante do Instituto Politécnico do Porto (P.Porto), subiu ao segundo lugar e conquistou a medalha de prata. 

Também digna de um lugar no pódio foi a prestação de João Araújo da Universidade do Porto (U.Porto), ao conseguir uma medalha de bronze no salto com vara. Ainda na vertente dos saltos, Cláudia Rodrigues, da mesma instituição, foi segunda classificada no salto em comprimento. 

No lançamento do dardo e do peso, a Universidade do Porto foi também medalhada com dois terceiros lugares. José Gonçalves tratou da conquista no lançamento do dardo, enquanto Alexandre Oliveira arrecadou a medalha no arremesso do peso. 

Ainda antes do fecho do primeiro dia de competição, o Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, protagonizou também as provas de corrida. Nos 3000 metros obstáculos, Samuel Ramos, do P.Porto conquistou a medalha de ouro, enquanto na vertente feminina, Alice Oliveira, representante da Associação de Estudantes da Escola Superior Enfermagem do Porto (AEESEnfP), arrecadou o terceiro lugar. 

Ainda nas provas de meio-fundo, nos 1500 metros, João Cruz, da U.Porto, conseguiu o último lugar do pódio. Nos 100 metros femininos, Maria Santos, do P.Porto, trouxe para a cidade portuense a prata. 

Para finalizar o dia em beleza, a U.Porto conquistou a sua primeira medalha de ouro nestes CNU, feito conseguido por Raquel Pimentel na prova dos 10.000 metros marcha.

No domingo, o Ensino Superior do Porto voltou a estar em destaque e somou mais 15 medalhas ao seu medalheiro, incluindo o troféu coletivo da U.Porto. No que toca às provas de lançamento, nomeadamente no peso e dardo, foram vitoriosas duas atletas da Academia do Porto. 

Com o ouro e com um recorde nacional universitário conquistado no lançamento do dardo, Cláudia Ferreira, da U.Porto, foi um dos destaques do último dia de competição. Na mesma prova, Bárbara Bica, estudante do P.Porto assumiu o segundo posto. Esta mesma atleta conquistou a medalha de bronze no arremesso do peso. 

No lançamento do martelo masculino, Leonardo Gonçalves e Marco Paredes, do P.Porto, ficaram com o segundo e terceiro lugar, respetivamente. No salto em altura, Cláudia Rodrigues, atleta que já tinha conquistado a medalha de prata no salto com vara, no dia anterior, voltou a subir ao pódio. Nesta modalidade, a representante da U.Porto conquistou mesmo o ouro. 

Ao lado da estudante do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto (ICBAS), ficou Maria Ana Leite da U.Porto, Miriam Tavares da Associação Académica da Universidade de Aveiro e Carolina Ribeiro da Associação Académica da Universidade da Beira Interior. As últimas três atletas mencionadas ocuparam o segundo lugar da prova, uma vez que obtiveram o mesmo resultado.

No que toca ao salto em comprimento masculino, Tomás Dinis, também vitorioso no dia anterior, na prova de triplo salto, voltou a destacar-se e conquistou o terceiro lugar. As restantes medalhas do dia foram conquistadas nas provas de corrida. Para além do título nos 800 metros, Jorge Pereira, representante da U.Porto, conseguiu igualmente estabelecer um novo recorde nacional universitário. Também de “ouro” foi a prestação de Maria Santos, do P.Porto, que conseguiu o primeiro lugar na prova de 100 metros barreiras. 

As prestações eram de grande nível e o ouro voltou a recair para um representante do Ensino Superior do Porto na prova de 110 metros barreiras. Diogo Guerra, da Associação de Estudantes do Instituto Superior da Maia (AEISMAI), foi quem levou a melhor e conquistou o lugar cimeiro do pódio. Na última prova com barreiras, João Mota, estudante do Politécnico do Porto, subiu ao terceiro posto e conquistou a medalha de bronze.

Nos 5000 metros masculinos, o P.Porto voltou a estar em evidência, após Rafael Lopes ter assegurado o segundo lugar. Na vertente feminina, Lara Regalado ficou pelo terceiro posto e deu assim mais uma medalha à U.Porto. Por fim, e na única prova coletiva, a Universidade do Porto contou com Pedro da Silva, Miguel Miranda, Nuno Nascimento e Tiago Silva para conquistarem a medalha de bronze nas estafetas masculinas. 

Em declarações ao Jornal Universitário do Porto, Cláudia Rodrigues, vencedora de duas medalhas nestes CNUs, salientou que a preparação para a competição foi iniciada no mês de Fevereiro. A atleta demonstrou o seu contentamento pela retoma gradual da atividade, uma vez que os condicionamentos no acesso às pistas, no ano anterior, tornaram-se “um pesadelo”. 

Quando questionada sobre os pódios nas respetivas provas, a estudante do ICBAS destacou que nunca andou no desporto pelas medalhas, mas não deixou de afirmar que quando “o esforço, a paixão e a dedicação são recompensados”, o sentimento é “incrível”. 

Num contexto mais coletivo, Cláudia teceu grandes elogios à prestação da U.Porto. “Há doze anos que somos campeões nesta competição, por alguma razão o é.”, finalizou.

Feitas as contas, das 25 medalhas arrecadadas pelas academias portuenses, a U.Porto conquistou 12, enquanto o P.Porto ficou-se pelas 11 medalhas. As restantes foram atribuídas à AEESEnfP e à AEISMAI.

A nível coletivo, a U.Porto venceu estes CNU e revalidou o estatuto de Campeã Nacional Universitária de Atletismo ao Ar Livre. Quatro de ouro, duas de prata e seis de bronze foram as medalhas conquistadas e que permitiram à academia portuense alcançar a marca do 12º título consecutivo na modalidade, feito alcançado também nos CNU de Atletismo Pista Coberta, realizados em março. 

As restantes posições do pódio foram ocupadas pela AAUAv e pela Associação Académica de Coimbra (AAC), com o segundo e terceiro lugar, respetivamente.

    Artigo da autoria de Francisca Santos