Desporto

Basquetebol: Sporting CP vence FC Porto e adia decisões para o último jogo da final

A equipa sportinguista visitou e venceu, este domingo, os “dragões” em jogo a contar para a final dos play-offs do campeonato. 76-80 foi o resultado final. Por Tiago Sousa

Depois de duas vitórias consecutivas frente aos “leões”, o Futebol Clube do Porto (FC Porto) voltou a entrar em campo, este domingo, no Dragão Arena, a saber que uma vitória bastava para se sagrar Campeão Nacional. Porém, do outro lado, o Sporting Clube de Portugal (Sporting CP), primeiros classificados da fase regular, chegava com a ambição de levar a decisão da eliminatória para o Pavilhão João Rocha e adiar a entrega do título.

Equilíbrio em primeira parte muito física

O primeiro período ficou marcado pelo equilíbrio e intensidade próprios de uma final. Os “dragões” até abriram o marcador, com apenas 20 segundos de jogo, mas o Sporting CP respondeu à altura e chegou a estar com cinco pontos de vantagem após triplos de Micah Downs e Travante Williams, respetivamente. 

Esta vantagem foi “sol de pouca dura”. O FC Porto respondeu e, de forma rápida, empatou a partida e conquistou a maior vantagem dos primeiros dez minutos do jogo com 19-12 no marcador. Luís Magalhães, técnico leonino, pediu, perante esta desvantagem, um desconto de tempo e reorganizou a equipa de modo a equilibrar o resultado. 

E assim foi. No que restou jogar do período, o FC Porto apenas conseguiu concretizar dois pontos, enquanto os “verdes e brancos” reduziram e terminaram o primeiro quarto com apenas dois pontos de desvantagem. 21-19 era o resultado.

O segundo quarto deu continuidade ao equilíbrio e intensidade dos dez minutos anteriores. Nos primeiros oito minutos, a liderança foi oscilando entre as duas formações que, num jogo muito físico e onde rapidamente chegaram às cinco faltas, concretizaram muitos dos seus pontos da linha de lance livre. 

Nos últimos dois minutos, a coesão defensiva portista cedeu e os “leões”, que viram o seu treinador ser expulso por duas faltas técnicas, aproveitaram para se isolarem na liderança do marcador e estabeleceram uma vantagem de oito pontos. 34-42 era o resultado ao intervalo, favorável aos visitantes.

Ascendente leonino e emoção até ao final

Se por um lado o FC Porto mostrava sinais de decréscimo de rendimento, a equipa visitante mostrou-se, principalmente a partir da segunda parte, com uma performance ascendente e superiorizou-se aos “dragões”. No terceiro período as bolas demoraram a entrar, apenas dois pontos concretizados nos primeiros três minutos, mas a eficácia chegou e permitiu alargar e consolidar a posição de vantagem dos leoninos. 

Os jogadores da casa mostravam dificuldades em chegar ao cesto adversário e o Sporting CP tirou benefício dessa ineficácia para chegar aos 14 pontos de vantagem com ainda quase quatro minutos para jogar. Depois dessa boa sequência dos “leões”, nos restantes minutos contaram-se apenas nove pontos e os “verdes e brancos” foram para o último período com 11 pontos de vantagem. 47-58 era o resultado apontado no marcador.

O último quarto do jogo deixou a emoção ao rubro no Dragão Arena e ressuscitou as esperanças dos portistas de se sagrarem Campeões em casa. O FC Porto entrou bem e os visitantes mostraram-se permissivos perante uma ofensiva “azul e branca” onde Jalen Riley quase foi o herói da noite. 

O base norte-americano com um triplo reduziu a diferença para quatro pontos e, pouco depois, conquistou um lançamento livre seguido de dois pontos concretizados com falta do adversário, que deixou a sua equipa a um ponto do empate. Pouco depois, João Soares, extremo portista, ganhou e concretizou dois lances livres e colocou a equipa da casa na frente do marcador. 

A esperança portista voltou, mas a ambição dos “leões” acabou por levar a melhor. Primeiro, um triplo de Pedro Catarino e, depois, um triplo de Shakir Smith, a 18 segundos do final, deixaram o Sporting CP confortável e garantiram a vitória leonina. 76-80 foi o resultado final.

Do ponto de vista individual, o destaque vai, do lado do FC Porto, para a performance de Jalen Riley que terminou a partida com 18 pontos. Do lado sportinguista, o já habitual Travante Williams foi quem mais brilhou. O norte-americano, que foi expulso com cinco faltas no último período, saiu do Dragão Arena com 19 pontos e sete assistências.

Em rescaldo, Moncho López, treinador da equipa da casa, destacou a forma como o Sporting CP conseguiu contrariar a fluidez ofensiva portista e falou de um “abuso da linha de 3 pontos” num jogo em que a equipa “não estava com boas percentagens”. Abordou a falta de “entreajuda defensiva” como um dos motivos da derrota neste jogo que considerou “muito equilibrado”. 

Apesar da derrota, reiterou que a equipa vai visitar o Pavilhão João Rocha, na quarta-feira, “completamente convicta de que podemos ganhar lá e vamos ganhar lá” porque “queremos ser Campeões Nacionais e temos de acreditar que é possível”.

António Paulo, treinador-adjunto dos “leões”, realçou também o equilíbrio do jogo e mostrou-se “satisfeito” por levar a decisão para casa. Lembrou que “o FC Porto começou melhor”, mas a adaptação e organização da equipa ajudou a construir “uma boa vantagem que nos permitiu depois gerir e aguentar a pressão final do FC Porto”

A partida decisiva do  campeonato está agendada para quarta-feira, no Pavilhão João Rocha, casa do Sporting CP.

Artigo da autoria de Tiago Sousa