Desporto

Basquetebol: FC Porto arranca play-off com vitória gorda frente ao CAB Madeira

Os “dragões” receberam e venceram, esta sexta-feira, a formação insular em jogo a contar para os quartos de final dos play-offs da Liga Placard. 105-53 foi o resultado final. Por Tiago Sousa

No dia do 12º aniversário do Dragão Arena, o Futebol Clube do Porto (FC Porto) recebeu, esta sexta-feira, a equipa do Clube Amigos do Basquete Madeira (CAB Madeira) em jogo dos quartos de final dos play-offs do campeonato nacional que opôs o segundo e sétimo classificados da fase regular. A equipa da casa, que vinha de duas derrotas consecutivas, procurava a vitória para acabar com o período menos positivo e entrar com o pé direito na fase decisiva da competição. Por sua vez, os madeirenses também queriam sair vitoriosos, mas adivinhava-se uma tarefa difícil. A formação visitante não contava com Robertas Grabauskas, figura principal dos madeirenses, indisponível por lesão. 

A resistência possível

Quem visse apenas o primeiro período da partida dificilmente poderia adivinhar a diferença final no resultado. Com duas equipas organizadas e muito eficazes no plano ofensivo, os primeiros dez minutos do jogo ficaram marcados pelo equilíbrio. Foi neste quarto que o CAB Madeira chegou ao seu único momento de vantagem durante toda a partida. Com 4 minutos e 35 segundos para se jogar, os madeirenses conseguiram um parcial de 11-14. 

Este bom momento dos visitantes foi fruto da grande capacidade na contenção do jogo interior do FC Porto, a par da eficácia nos momentos ofensivos. Apesar do bom nível dos madeirenses, os portistas não se retraíram e responderam à altura. 27-20, era o resultado apontado no marcador no final dos primeiros dez minutos, parcial com a menor diferença de pontos de todo o jogo.

O segundo quarto trouxe para o jogo um FC Porto muito comprometido no momento defensivo e eficaz no ofensivo, e um CAB Madeira quase nulo no ataque ao cesto. Dessa antítese, surgiu a maior vantagem parcial de toda a partida, com quase seis minutos jogados no segundo período, 18-0 era o parcial. Neste período, os “azuis e brancos” imprimiram um ritmo que confirmou o favoritismo não só para a vitória no jogo, como, também, do campeonato. 

De tanto tentarem chegar ao cesto adversário e, na maioria das vezes, sem sucesso devido à  “muralha” defensiva dos “dragões”, a equipa insular começou a acusar o peso da diferença no marcador e quebrou animicamente. Ainda assim, concretizaram dez pontos até ao final da primeira parte e atenuaram um pouco a larga diferença do marcador. 54-30 era o resultado ao intervalo. Neste período, nota também para o facto de ambas as equipas terem chegado às cinco faltas com mais de três minutos para jogar.

Domínio total da equipa da casa

A segunda parte não trouxe muitas novidades ao encontro. A tendência ofensiva do FC Porto manteve a equipa numa posição de total domínio sobre o adversário e a vantagem continuou a aumentar. Os madeirenses mantiveram o baixo registo de concretização – contavam no final do jogo com 35% de eficácia em lançamentos de dois pontos e 27% dos lançamentos triplos concretizados- e não conseguiram inverter o pendor ofensivo portista. 

Ao contrário do que aconteceu na última partida entre ambas as equipas , desta vez, a buzina dos 100 pontos fez-se ouvir no Dragão Arena, a 3 minutos e 17 segundos do final do jogo, após um triplo de Francisco Amarante. Num encontro onde, sem nunca baixar o ritmo e a intensidade, a formação de Moncho López, técnico “azul e branco”, aproveitou a vantagem para fazer a rotação dos jogadores. Todos os jogadores da formação ”azul e branca” somaram minutos e contribuíram para a vitória da sua equipa. No fim da partida, ficou para registo, uma vantagem de 52 pontos. 105-53 foi o resultado final.

Individualmente, do lado “azul e branco” destacaram-se dois norte-americanos: Garret Nevels, melhor marcador da partida com 22 pontos, e Eric Anderson que assinou um duplo-duplo com 14 pontos e 12 ressaltos. Do lado dos insulares, destaque também para dois jogadores do Estados Unidos da América, Paul Jorgensen e AJ Cheeseman, ambos com 17 pontos.

No final do jogo, João Paulo Silva, técnico madeirense, congratulou o adversário pela vitória e elogiou o esforço dos seus jogadores. Afirmou “que não faltou nada” e que gostou da exibição da equipa. Lamentou a ausência de Robertas Grabauskas e prometeu “marcar presença no domingo para fazer um jogo mais competitivo”.

Moncho López mostrou-se satisfeito com o resultado e a exibição da equipa e destacou o “compromisso e esforço em cada ação” e “algumas exibições individuais muito interessantes”. Sobre o segundo jogo desta fase do play-off, o treinador espanhol relembrou que será “aproveitado fator casa para fazer mais um bom jogo”.

Com esta vitória, o FC Porto coloca-se à frente nestes quartos de final dos play-offs da Liga Placard, série decidida à melhor de cinco jogos. O próximo jogo entre as equipas está agendado para este domingo, dia 25, no Dragão Arena.

Artigo da autoria de Tiago Sousa