Desporto

Basquetebol: Sporting CP vence Imortal e revalida título da Taça de Portugal

Os “leões” venceram, este domingo, a formação do Algarve na final da Taça de Portugal, disputada em Matosinhos. 59-83 foi o resultado. Por Francisca Santos

Após a vitória frente ao SL Benfica na primeira meia-final da Taça de Portugal, o Imortal Basket Club (Imortal) encontrou-se com o Sporting Clube de Portugal (Sporting CP), vencedor da outra meia final frente ao FC Porto, este domingo, no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, para disputar a final da competição. À partida para o jogo, a equipa leonina queria vencer para revalidar o título de campeão na prova, enquanto o Imortal, pela primeira vez na final, queria fazer história.

“Leões” silenciam entrada forte do Imortal

O início do jogo caracterizou-se pela entrada forte da equipa de Albufeira. O início apático dos “leões” permitiu ao adversário assumir o jogo e, no decorrer dos primeiros minutos, o Imortal conseguiu um parcial de 7-0 sobre os “verdes e brancos”. Os ataques ao cesto da linha dos três pontos revelaram-se eficazes e mantiveram a equipa orientada por Luís Modesto, treinador dos algarvios, quase sempre em vantagem. Dos 20 pontos conquistados, 12 foram triplos.

O Sporting CP acabou por despertar no final do quarto e empatou o jogo a um minuto do fim do primeiro período. A igualdade pontual surgiu pelas mãos de João Fernandes que, ao descobrir espaço na área do Imortal, afundou e igualou a partida a 17 pontos. Ainda houve tempo para Miguel Toreia, do Imortal, e Shakir Smith, dos “leões”, brilharem da linha dos três pontos. Os jogadores de ambas as formações marcaram e carimbaram o resultado após os primeiros 10 minutos em 20-20. 

Ao contrário do primeiro quarto, o Sporting CP entrou mais coeso e forte defensivamente. Embora tenha sido o Imortal a abrir o marcador, foram os “leões” que se superiorizaram no encontro. Os “verdes e brancos” alcançaram a primeira vantagem do encontro no início do segundo período e nunca mais se deixaram apanhar pelo Imortal.

Os descontos de tempo pedidos pelo técnico da formação do Algarve revelaram-se ineficazes para travar o poderio ofensivo do adversário. António Monteiro, jogador dos algarvios, ainda tentou mudar o rumo do jogo, mas os esforços foram insuficientes. Ainda assim, o atleta conseguiu somar 16 pontos, 12 da linha dos três pontos. No entanto, do lado leonino, Shakir Smith, não quis ficar atrás e com 17 pontos conquistados deu uma vantagem razoável à sua equipa.

32-44 era o resultado ao intervalo, naquela que foi a maior diferença pontual verificada na primeira parte.

Confirmação da vitória

Após o regresso dos balneários, nada mudou em relação ao fim do segundo período: superioridade sportinguista no bloco defensivo e ofensivo. A insatisfação por parte do treinador do Imortal obrigou-o, de novo, a pedir um desconto de tempo, que embora não tenha sido totalmente eficaz, deu algum ânimo à equipa algarvia. Os cinco pontos conquistados após a pausa técnica alegraram a formação do Algarve, mas o Sporting CP voltou a superiorizar-se e não deu qualquer tipo de hipóteses ao adversário de lutar pelo resultado do encontro.

No derradeiro período, o cansaço dos jogadores de Albufeira tornou-se evidente, algo que também foi aproveitado pela equipa de Alvalade. A vantagem aumentou cada vez mais e o marcador tornou-se bastante desnivelado. 59-83, 24 pontos de diferença, foi o resultado final que levou os “leões” a erguerem a Taça de Portugal. O Sporting CP conquista assim, pelo segundo ano consecutivo, o troféu da competição.

A nível individual, Shakir Smith, jogador de Alvalade, foi o melhor em campo com 24 pontos, quatro assistências e três ressaltos. Já do lado do Imortal, António Monteiro foi o destaque com 21 pontos, uma assistência e seis ressaltos.

No final do encontro, Luís Modesto, treinador do Imortal, salientou a boa primeira parte da sua equipa que “conseguiu dar luta ao Sporting CP”. O técnico abordou a falta de jogadores para rotação interior, fruto das lesões de dois dos seus atletas no encontro da meia-final frente ao SL Benfica. Apelidadas pelo técnico de “referências do jogo interior”, as baixas algarvias condicionaram o jogo que, “em outras condições, podia ter sido discutido até ao fim”. 

Luís Magalhães, treinador do Sporting CP, parabenizou a equipa do Imortal e salientou o azar da equipa do Algarve devido às baixas de dois dos seus principais jogadores. Em relação ao jogo, o técnico afirmou que o seu plantel acabou por estar melhor nesta final, mas destacou a luta dos algarvios.

Após a conquista da taça, os “leões”, líderes do campeonato, voltam a entrar em ação no sábado, em casa da UD Oliveirense, quinta classificada. No mesmo dia, o Imortal defronta o FC Porto, atual segundo classificado.

Artigo da autoria de Francisca Santos.