Desporto

Hóquei: FC Porto apurado para a final four após empate com OC Barcelos

Os “dragões” empataram com o OC Barcelos, este domingo, no Pavilhão Luso, em jogo a contar para a última jornada da fase de grupos da Liga Europeia. 3-3 foi o resultado. Por Carolina Cardoso

Depois da vitória frente aos espanhóis do Club Esportiu Noia (CE Noia), o Futebol Clube do Porto (FC Porto) regressou, este domingo, ao Pavilhão Luso para enfrentar o Óquei Clube Barcelos (OC Barcelos), na última jornada da fase de grupos da Liga Europeia. Aos “azuis e brancos” bastava o empate para assegurarem a passagem à próxima fase, enquanto aos minhotos só a vitória interessava.

Jogo equilibrado, mas “dragões” em vantagem ao intervalo

O primeiro tempo foi marcado pelo equilíbrio, apesar da vantagem portista na ida para os balneários. Ambas as equipas começaram a partida com várias iniciativas ofensivas. Os barcelenses dominaram os primeiros minutos através de fortes remates à baliza e ataques às segundas bolas, no entanto, sem perigo para o guardião portista Xavi Malián. 

O marcador abriu aos nove minutos, com Rafa a encaixar um remate pelo buraco da agulha, sem hipótese para Constantino Acevedo, guarda-redes do OC Barcelos. A vantagem durou pouco tempo já que, no minuto seguinte, o árbitro da partida assinalou falta de Rafa sobre Zé Pedro e na cobrança do penálti, Luís Querido bateu Malián. Na resposta, Carlo Di Benedetto protagonizou dois ataques de perigo “azuis e brancos”, mas sem conseguir atingir as redes minhotas. 

O OC Barcelos podia ter chegado à vantagem ao minuto 15, após uma perda de bola portista em zona proibida, mas Xavi Malián impediu o golo minhoto. Poka tentou um remate de longe, mas foi Reinaldo Garcia que, aos vinte minutos, fez uma picadinha que só parou no fundo da baliza de Acevedo. A nota artística do capitão portista colocou o FC Porto de novo em vantagem. O OC Barcelos foi, mais uma vez, rápido a reagir e Zé Pedro, com uma stickada potente da zona central, voltou a empatar a partida. 

Os “azuis e brancos” continuaram a insistir nas investidas ofensivas e, a dois minutos do fim da primeira parte, Reinaldo Garcia rodou sobre a defesa barcelense e bisou na partida. O capitão portista assegurou a vantagem por 3-2 ao intervalo. 

Empate com sabor a vitória

A segunda parte começou com dois livres diretos a favor dos “dragões”. Primeiro por Gonçalo Alves e depois por Di Benedetto, os portistas não foram além de duas tentativas não concretizadas. Aos três minutos da segunda parte, Giménez beneficiou de um livre na sequência de um cartão azul a Reinaldo Garcia, mas no frente a frente com Malián, o guardião levou a melhor. As bolas paradas não estavam a ser aproveitadas por nenhuma das equipas e aos cinco minutos, após o término do período de desvantagem numérica dos “dragões”, Miguel Rocha empatou a partida na sequência de um forte remate. 

O domínio portista sobressaiu no segundo tempo, no entanto, nem as jogadas coletivas, nem as investidas individuais fizeram a bola balançar as redes de Acevedo. O FC Porto tentou prolongar o tempo dos seus ataques, até porque aos portistas o empate bastava. Ao OC Barcelos só convinha a vitória, mas os minhotos não criaram grandes oportunidades de perigo nos últimos minutos. 

O jogo foi disputado de parte a parte até ao fim e a formação de Barcelos apostou as cartas todas no último minuto com a saída do guarda-redes. O último remate barcelense foi defendido com segurança por Xavi Malián e após o apito final, a festa foi dos “azuis e brancos”. 

No final do encontro, o técnico dos “dragões”, Guillem Cabestany, referiu que o FC Porto teve que saber sofrer naqueles que não foram “os dois melhores jogos da época” por parte dos portistas. O treinador realçou ainda que a equipa não jogou para o empate, mas foi preciso “gerir a posse de bola e as faltas a poucos minutos do fim”. Já o treinador do OC Barcelos, Rui Neto, lembrou que “no OC Barcelos, não gostamos de vitórias morais” e que a equipa “fez tudo para ganhar e merecia mais”. 

Recorde-se que devido à pandemia da COVID-19, este ano a Liga Europeia é disputada entre nove equipas, no Luso. A prova está dividida em três grupos e apuram-se para a final four os primeiros classificados de cada grupo, bem como o melhor segundo. 

Os dragões defrontam na próxima fase da competição o vencedor do grupo B, a União Desportiva Oliveirense, que empatou, este domingo, com o Sporting Clube de Portugal, resultado que garantiu a presença das duas equipas nas meias-finais. No grupo C, a liderança será disputada entre Benfica e Barcelona. 

A final four está marcada para 15 e 16 de maio.

Artigo da autoria de Carolina Cardoso.