Desporto

Hóquei: FC Porto consegue goleada frente ao SC Tomar

Os “dragões” receberam, este sábado, a formação de Santarém, num jogo a contar para o campeonato. 8-1 foi o resultado. Por Pedro Marques dos Santos

Depois da goleada na visita a Riba D’Ave, o Futebol Clube do Porto (FC Porto) recebeu, esta sábado, no Dragão Arena, o Sporting Clube de Tomar (SC Tomar), numa partida da 22ª jornada do campeonato de Hóquei em Patins. Num confronto entre duas equipas confortáveis em zona de acesso ao play-off de campeão, a turma de Santarém treinada por Nuno Lopes procurava voltar a roubar pontos ao líder da competição – o encontro da primeira volta acabou empatado a quatro bolas.

Gonçalo Alves faz a diferença

Como se esperava, a partida arrancou com alta intensidade das duas equipas e foi mesmo o SC Tomar a primeira formação a ameaçar o golo, com um remate ao poste de Filipe Almeida. A resposta “azul e branca” surgiu logo no minuto seguinte. Gonçalo Alves depois de fintar um adversário atirou à trave da baliza defendida por Francisco Veludo. O goleador portista acabou por sair maltratado do lance e teve de abandonar o rinque durante alguns minutos.

O FC Porto acabaria por chegar à vantagem através de um lance caricato. Aos quatro minutos, Rafa cruzou para a área, mas a bola saiu demasiado puxada ao primeiro poste e enganou o guardião dos visitantes que esperava um ataque ao segundo poste. Essa tentativa de antecipação foi-lhe fatal e o esférico acabou por entrar após bater nas suas costas.

Neste período inicial, os “azuis e brancos” apostaram numa defesa agressiva, a pressionar de forma intensa e a cometer várias faltas num esforço bem-sucedido para manter os comandados de Nuno Lopes longe da sua baliza. Aos sete minutos, Gonçalo Alves regressou ao encontro para cobrar uma grande penalidade, mas atirou ao poste.

Quando o relógio marcava os dez minutos de jogo, Filipe Almeida, na sequência de uma boa jogada coletiva do SC Tomar, fez o empate para os visitantes. A velocidade aumentou ainda mais depois da igualdade no marcador, com várias transições de parte a parte. Contudo, seria através de um remate da linha do meio-campo que Gonçalo Alves voltaria a colocar os “dragões” em vantagem. O disparo procurava um desvio de Carlo di Benedetto na área que não surgiu, mas a tentativa foi suficiente para trair Francisco Veludo.

A dez minutos do intervalo, Ezequiel Mena quase marcou com um remate pelo meio das pernas e de costas para a baliza. Não teve sucesso na finalização, mas tabelou logo de seguida com Gonçalo Alves para o internacional português fazer o 3-1. O SC Tomar ainda teve oportunidade de reduzir, através de um livre direto a castigar a décima falta portista, no entanto, Rúben Sousa não conseguiu bater Xavi Malián.

Na resposta, Gonçalo Alves, novamente da linha do meio-campo e desta vez com um remate pleno de potência, voltou a faturar e completou o hat-trick. O mesmo jogador, a poucos minutos do intervalo, foi admoestado com um cartão azul que concedeu mais um livre direto para os visitantes. Cobrado agora por Ivo Silva, Malián voltou a mostrar-se imperial na baliza “azul e branca”.

Quando já tudo estava pronto para o intervalo, Xavi Barroso, com apenas um segundo no relógio e de ângulo muito apertado, colocou o resultado em 5-1. Tal como no primeiro golo, o guarda-redes do SC Tomar voltava a não ficar bem na fotografia. Ao intervalo, o FC Porto vencia o sexto classificado de forma confortável.

Vantagem folgada e gestão de esforço

À imagem do que aconteceu no primeiro tempo, o arranque da segunda parte voltou a ser intenso e não foi preciso esperar muito para que as oportunidades começassem a surgir em catadupa. Ezequiel Mena repetiu a estratégia do terceiro golo e encontrou Gonçalo Alves que, liberto de marcação, disparou para o 6-1.

Aos cinco minutos, Filipe Almeida, o marcador do golo do SC Tomar, viu o cartão azul e deu ao FC Porto nova oportunidade para dilatar a vantagem. Carlo di Benedetto assumiu a marcação, mas o remate saiu ao lado. Com as equipas mais focadas em atacar do que em proteger as suas balizas, o segundo tempo decorreu a um bom ritmo, com ataques rápidos, ainda que com mais desperdício do FC Porto.

Com o passar dos minutos, os visitantes tiveram mais bola, sem criar grande perigo, e os “dragões” começaram a gerir o esforço. No livre direto a castigar a 15ª falta da equipa da casa, Rúben Sousa voltou a não conseguir reduzir a desvantagem no marcador. A sete minutos do fim do jogo, Poka atirou de meia distância para colocar o resultado em 7-1.

Logo de seguida, mais uma bola parada para a formação de Tomar. Anderson Silva assumiu a cobrança, mas atirou à barra da baliza defendida nesta fase por Tiago Rodrigues, que rendeu Malián. Até ao final, houve ainda tempo para Gonçalo Alves desperdiçar um livre direto, para Poka bisar, na conversão de uma bola parada, e para os visitantes enviarem mais uma bola ao ferro. 8-1 foi o resultado com que terminou a partida.

Em declarações após a partida, Guillem Cabestany, técnico dos portistas, referiu que, em relação ao encontro em Tomar, o “fator casa fez a diferença” e que a equipa está agora num momento diferente da época, “em alto rendimento, bem e confiante”. Nesta fase, o treinador espanhol considera que há que estar contente por a equipa estar a jogar bem, mas com cautela porque o campeonato só se vai decidir no play-off e um baixar de rendimento nessa etapa “pode deitar a época toda por água abaixo”.

Por sua vez, Nuno Lopes, técnico do SC Tomar, reconheceu que a sua formação não esteve ao seu nível e não aproveitou “as bolas paradas que nos podiam manter no jogo”. Ainda assim, afirmou que este resultado em “nada belisca a imagem deixada em outros jogos”.

Com este resultado, o FC Porto mantem-se na liderança do campeonato, enquanto o SC Tomar sabe que vai continuar no sexto lugar, independentemente dos resultados desta jornada. Os “dragões” voltam a jogar já na quarta-feira, numa receção à UD Oliveirense, em jogo em atraso da 13ª jornada. A equipa de Santarém volta a jogar no sábado, dia em que vai receber a Juventude de Viana.

Por Pedro Marques dos Santos