Desporto

Andebol: FC Porto cai de pé frente ao favorito VIVE Kielce

Os “dragões” visitaram, esta terça-feira, a formação polaca num jogo da Liga dos Campeões EHF. O atual campeão polaco saiu vencedor por 32-30. Por Pedro Marques dos Santos

Depois de duas vitórias em dois jogos no regresso à competição de clubes após a pausa para o Mundial de Andebol, no Egito, o Futebol Clube do Porto procurava prolongar a sequência vitoriosa na visita à Polónia, para defrontar o VIVE Kielce, crónico campeão polaco e vencedor da Liga dos Campeões EHF, em 2016. 

Enquanto os “dragões” tentavam voltar a surpreender, depois do empate conseguido no Dragão Arena, e consolidar a sua posição no grupo, ao continuar na zona de apuramento para o play-off de acesso aos quartos de final, a formação polaca pretendia confirmar o favoritismo e manter-se nos lugares de passagem direta à próxima fase da prova.

Dez minutos desastrados

Ciente do poderoso adversário que tinha pela frente, o FC Porto entrou mal na partida e demorou demasiado a estabilizar. A defesa alta e pressionante do VIVE Kielce causou enormes dificuldades aos comandados de Magnus Andersson e, aliada ao desacerto ofensivo dos “azuis e brancos”, originou um rápido desnivelar do resultado. Aos sete minutos, o técnico portista pediu o desconto tempo, quando o resultado ainda estava em 6-2.

Como consequência, os “dragões” começaram a apostar no 7 para 6, mas o desnorte era tal nesta fase do encontro que isso só fez aumentar a diferença no marcador. Com dez minutos decorridos, a equipa da casa liderava, de forma confortável, por 10-3, em grande parte auxiliada pela passividade defensiva dos visitantes. A partir dos 15 minutos da primeira parte, a eficácia ofensiva da formação polaca caiu um pouco, o que permitiu um maior equilíbrio até ao intervalo.

O bloco defensivo do FC Porto melhorou, mas o ataque continuou perdulário, também devido a defesas importantes de Andreas Wolff, guarda-redes alemão do VIVE Kielce, que travava assim a recuperação portista no resultado. No entanto, os minutos finais da primeira parte viram Mitrevski, guardião portista, acumular intervenções que permitiram aos “azuis e brancos” reduzir a desvantagem para cinco golos. 

António Areia, num livre de sete metros no último segundo, teve oportunidade de colocar a diferença em quatro, mas atirou ao poste. 19-14 era o resultado ao intervalo.

Ainda deu para sonhar

Os primeiros minutos após o reatar do jogo mostraram que o FC Porto vinha disposto a deixar uma melhor imagem no encontro, com uma rápida redução da desvantagem para três golos. No entanto, o acerto ofensivo durou pouco e a partida acabou por estabilizar nos cinco golos de diferença durante boa parte do segundo tempo, com as duas formações a manterem-se equiparadas.

A 12 minutos do final, os “dragões” colocaram-se a apenas dois golos do VIVE Kielce e reentraram na discussão da partida, mas quando se esperava que os portistas ficassem a apenas um golo de diferença, Daymaro Salina atirou ao poste e a equipa polaca voltou a dilatar a vantagem. Mesmo assim, a notória melhoria exibicional dos “azuis e brancos” permitiu criar incerteza no resultado e, a menos de três minutos do fim, colocar-se a apenas um golo do empate.

A 20 segundos do final, naquele que foi o último ataque do FC Porto, Salina teve nas mãos o empate, mas uma defesa estrondosa de Mateusz Kornecki, guarda-redes que rendeu Wolff nos últimos minutos da partida, segurou a vitória da formação treinada por Talant Dujshebaev. 32-30 foi o resultado com que o encontro terminou.

No que diz respeito aos destaques individuais, o espanhol Alex Dujshebaev, lateral do VIVE Kielce, foi o melhor marcador, com dez golos, seguido de Igor Kararic, central croata, com seis. Do lado portista, Rui Silva e Victor Iturriza foram os mais esclarecidos no ataque, com seis golos cada, enquanto Djibril M´Bengue foi fundamental na manobra defensiva da equipa. 

No final da partida, Magnus Andersson, técnico do FC Porto, congratulou o adversário pela vitória naquele que considerou ter sido “um jogo estranho”. Sem surpresa, o treinador sueco mostrou-se bastante desagradado com a exibição da sua equipa na primeira parte, pautada por “vários erros e golos sofridos de todas as posições”. Ainda assim, salientou o caráter demonstrado pela equipa no segundo tempo. Por sua vez, Talant Dujshebaev, técnico do VIVE Kielce, destacou também a segunda parte portista e referiu que sentiu algum cansaço por parte dos seu melhores atletas com o passar dos minutos.

Com este resultado, o FC Porto mantem-se na quinta posição do grupo A da Liga dos Campeões EHF, com oito pontos, enquanto o VIVE Kielce continua em segundo lugar, mas agora em igualdade pontual com o líder Flensburg-Handewitt. As duas equipas voltam a jogar já na quinta-feira, com os “dragões” a visitarem os húngaros do Pick Szeged e a formação polaca a jogar no terreno do Meshkov Brest.

Artigo da autoria de Pedro Marques dos Santos