Desporto

U. Porto recebe o grau de certificação platina do FISU Healthy Campus

Sete meses depois do arranque do programa da Federação Internacional do Desporto Universitário, a Universidade do Porto recebeu o grau de certificação mais elevado.

A Universidade do Porto (U. Porto) alcançou o mais elevado grau de certificação (platina), no programa FISU Healthy Campus. Apenas sete meses depois do lançamento deste programa, a U. Porto foi aprovada em 96 dos 100 critérios avaliados.

Em declarações à Federação Internacional do Desporto Universitário (FISU), António de Sousa Pereira, Reitor da U. Porto, destacou a importância da iniciativa, criada com o objetivo de munir estes estabelecimentos de ensino com as ferramentas, orientação e as práticas de vida saudáveis para assegurar o bem-estar dos estudantes e trabalhadores, uma vez que proporcionou uma avaliação objetiva do que tem vindo a ser desenvolvido na universidade, no que concerne à melhoria das condições de acessibilidade e à criação de um ambiente saudável para todos.

Sousa Pereira acrescentou que o seu objetivo principal passa por garantir saúde e bem-estar a todos os membros da U. Porto, pelo que o reconhecimento do trabalho produzido, e a produzir nos próximos cinco anos, constitui um incentivo para um maior investimento na qualidade de vida dos alunos e funcionários.

O reitor da U. Porto referiu também que apesar do inegável sucesso, ainda há muito trabalho pela frente e afirmou ser essencial a colaboração de entidades regionais e nacionais na criação, implementação e controlo das políticas de saúde pública e atividade física, indispensáveis para o alcançar dos objetivos do Campus Saudável.

Por sua vez, Maria Joana Carvalho, pró-reitora, esclareceu que a prioridade da U. Porto passa por melhorar a qualidade de vida através do desporto, seja de competição, de formação ou de forma recreativa. A universidade apresenta na sua programação mais de 60 atividades desportivas, as quais pressupõem 9000 pessoas que praticam desporto de modo informal. A promoção de estilos de vida saudável é assim a principal urgência do plano estratégico desenvolvido.

Em acréscimo, a pró-reitora destacou a importância da responsabilização individual, em relação à saúde e bem-estar, pelo que urge conferir à comunidade as ferramentas necessárias para a redução dos estilos de vida sedentários. Deste modo, a U. Porto desenvolveu inúmeras iniciativas e múltiplas ofertas desportivas, procurando, no futuro, disponibilizar bicicletas elétricas e, ainda, melhorar o bem-estar físico, mental e social dos colaboradores.

Por conseguinte, tendo em conta que uma comunidade académica mais ativa é mais feliz e mais competente, são várias as instalações desportivas que a U. Porto proporciona sem quaisquer custos. Sobre este assunto, Bruno Almeida, Diretor do Centro de Desporto da Universidade do Porto (CDUP-UP), mencionou a recente a campanha ”Traga a bola e mantenha-se ativo”, a qual foi inspirada no desporto de rua.

Através da mesma, os estudantes só precisam de uma bola e de um grupo de amigos para se reunirem no Estádio Universitário, entre as 9h e as 17h. Segundo Almerida, já é possível observar vários grupos de estudantes que jogam de modo livre e chegam até a formar equipas que se distinguem pelas t-shirts, jogando, sem árbitros e sem treinador, tal e qual como faziam quando eram crianças.

Ao contrário do que seria expectável, nem a pandemia desmotivou esta experiência, que se pretende manter até ao final do ano letivo. Note-se que a Universidade do Porto renovou recentemente o Estádio Universitário, construído em 1953, o qual, e segundo Bruno Almeida, pretende ser, futuramente, um espaço aberto à cidade, passível de ser utilizado por um maior número de pessoas pertencentes, ou não, à universidade.

Neste momento, são cerca de cinquenta as universidades, a nível mundial, inseridas na plataforma Healthy Campus, com a rápida atribuição do grau de certificação de platina à U. Porto a ser visto como um caso de estudo e um exemplo para outras universidades. Os critérios estabelecidos pelo programa vão ao encontro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.