Desporto

HÓQUEI: FC PORTO VENCE NA RECEÇÃO AO AD VALONGO

“Dragões” bateram no sábado a formação de Valongo por 8-0 em partida da 12ª jornada do campeonato nacional de hóquei em patins disputada no Dragão Caixa, por Pedro Marques dos Santos.

Em busca da quinta vitória consecutiva na prova, o Futebol Clube do Porto recebeu sábado no Dragão Caixa a Associação Desportiva de Valongo, num encontro a contar para a 12ª jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins. Em confronto estavam o terceiro classificado da tabela, que procurava manter-se seguro na perseguição ao líder, e o décimo classificado que pretendia surpreender a formação da casa e afastar-se dos lugares de despromoção.

Perante um Dragão Caixa bem composto, mas não totalmente cheio, o jogo arrancou de forma repartida e com aproximações perigosas à baliza por parte de ambas as equipas. O primeiro golo acabaria por surgir ainda antes de estarem concluídos os primeiros quatro minutos de jogo e seria assinado por Gonçalo Alves, o melhor marcador do campeonato, que capitalizou da melhor forma uma perda de bola do Valongo em zona defensiva.

O mesmo jogador não demorou a ampliar a vantagem dos “dragões” na partida, uma vez que o 2-0 surgiu quase um minuto depois do golo inaugural. Desta vez, o golo resultou de um bom trabalho individual do atleta nas proximidades da baliza adversária, num lance que deixou o guarda-redes Leonardo Pais bastante agastado com os seus companheiros de equipa. Para tentar colocar gelo na partida, os forasteiros apressaram-se a pedir o primeiro desconto de tempo da partida.

Ainda assim, a AD Valongo acusou bastante os golos sofridos e perdeu a sua eficiência no ataque, com as oportunidades a sucederem-se para a formação da casa, que chegou a atirar uma bola poste por Reinaldo Garcia. A equipa visitante teria uma ocasião soberana para reduzir a desvantagem à passagem dos dez minutos de jogo, mas Nuno Araújo não foi capaz de superar um inspirado Carles Grau na marcação de um penálti.

Quando faltavam dez minutos para o final do primeiro tempo, Cocco colocou o resultado em 3-0 para os “azuis e brancos” após uma jogada de insistência. O golo acabou por encerrar aquela que vinha sendo a melhor fase do Valongo, a obrigar o Carles Grau a várias defesas importantes. Após o terceiro golo, o FC Porto manteve o domínio de jogo, mas o número de oportunidades diminuiu de forma drástica e o resultado não viria a sofrer alterações até ao intervalo.

A segunda parte abriu praticamente com novo golo da formação orientada por Guillem Cabestany. Desta vez foi Cocco a finalizar um contra-ataque rápido dos “dragões” e também ele a assinar o seu bis na partida. À passagem dos cinco minutos da segunda parte houve lugar a nova grande penalidade para a equipa de Valongo e a história do primeiro tempo voltou a repetir-se, isto é, Nuno Araújo perdeu outra vez o duelo com Carles Grau.

Apesar do domínio portista e dos vários remates à baliza de Leonardo Pais, o quinto golo da formação da casa tardava em aparecer, mas apareceu mesmo e pelo suspeito do costume. Gonçalo Alves finalizou com enorme qualidade um livre direto a castigar a décima falta da equipa treinada por Alexandre Fernandes numa altura em que faltavam treze minutos para o final da partida.

Logo de seguida, Hugo Santos foi admoestado com um cartão azul, o que proporcionou ao Valongo mais uma oportunidade para desfeitear o guarda-redes “azul e branco”. Apesar do bom gesto técnico, Gonçalo Pinto viu a bola esbarrar no ferro. Na resposta e também na cobrança de um livre direto, o capitão Hélder Nunes colocou o resultado em 6-0.

Naqueles que foram uns minutos de enorme emoção no rinque, Gonçalo Pinto voltou a dispor de um livro direto que também não conseguiu materializar em golo. Pouco depois e quando já só faltavam dez minutos para o final da partida, Telmo Pinto ampliou o marcador para 7-0 com um remate que viu a bola embater no ferro antes de entrar.

A quatro minutos do apito final, o FC Porto voltaria a marcar com um desvio do jovem Hugo Santos após assistência de Poka. Até ao final, houve ainda tempo para bolas ao ferro por parte de Luís Mendes para o Valongo e de Hugo Santos para o FC Porto, bem como à cobrança um livre direto resultante do cartão azul atribuído ao guarda-redes Rui Mendes, que havia substituído Leonardo Pais. Poka falhou a marcação do mesmo e o resultado final ficou fixado em 8-0.

Após o final da partida, Guillem Cabestany mostrou-se agradado “com a consistência defensiva” da sua equipa naquela que considerou ser uma “boa vitória e um muito bom resultado”. Por sua vez, Alexandre Fernandes afirmou que apesar da vitória justa do FC Porto, o resultado foi “enganador” e “exagerado”, tendo aludido para os quatro lances de bola que a sua equipa desperdiçou e considerado a eficácia como o principal diferenciador entre as duas formações.

Com este resultado, o FC Porto manteve o terceiro lugar, mas aproveitou a derrota do então líder Sporting CP para se colocar a apenas um ponto do primeiro lugar, enquanto a AD Valongo caiu para 12º lugar, a primeira posição abaixo da linha de água.

Na próxima jornada, o Futebol Clube do Porto visita o terreno do Turquel e a Associação Desportiva de Valongo recebe o HC Braga.

Este artigo é da autoria de Pedro Marques dos Santos