HÓQUEI: FC PORTO VENCE JOGO QUENTE CONTRA O OLIVEIRENSE – Jornal Universitário do Porto
Desporto

HÓQUEI: FC PORTO VENCE JOGO QUENTE CONTRA O OLIVEIRENSE

O Futebol Clube do Porto venceu no sábado a União Desportiva Oliveirense por 4-1, em jogo a contar para a 24ª jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins.

O Futebol Clube do Porto (FCP) vinha de um empate contra o Benfica e sabia que tinha de ganhar para se manter na discussão do título. A União Desportiva Oliveirense (UDO) pretendia solidificar a quarta posição na tabela.

O jogo começou iniciou-se num ritmo alto, com as duas equipas a tentarem chegar ao golo. A Oliveirense privilegiava a posse de bola, enquanto os da casa apostavam no contra-ataque. Ambas as equipas fizeram alguns remates, sem que nenhum deles apresentasse grande perigo para as balizas adversárias.

Aos cinco minutos de jogo, o marcador foi inaugurado pelos “dragões”. Rafa recupera a bola, arranca pela lateral direita e faz um passe para o 2º poste da baliza da Oliveirense, onde Reinaldo Garcia estava pronto para colocar a bola dentro das redes da UDO.

O golo não afetou muito a Oliveirense, nem os seus adeptos que cantavam sem parar pela equipa. Os visitantes conseguiram manter-se no controlo do jogo e produzir vários remates. Jordi Bargalló foi o jogador do conjunto de Oliveira de Azeméis que mais rematou, mas teve sempre resposta à altura de Carles Grau, guarda-redes azul e branco.

Perto dos nove minutos, novo contra-ataque perigoso dos “dragões”, através de um roubo de bola de Gonçalo Alves que fez com que este ficasse isolado frente a Xavier Puigbgi. O guarda-redes da Oliveirense acabou por defender o remate e, pouco depois, realizou-se um desconto de tempo.

No regresso, ambas as equipas rodaram os jogadores. Aos 15 minutos, Telmo Pinto fez o segundo golo pelo FC Porto, depois de assistência de Jorge Silva.

A partir deste ponto, os “dragões” controlaram o resto da primeira parte e o ritmo baixou consideravelmente. Mesmo assim, Jordi Bargalló ainda tentou de longa distância mais duas vezes, sem sucesso. A primeira parte terminou pouco depois, com o marcador fixeado em 2-0.

Revolta dos adeptos acendeu a partida

No regresso para a segunda parte, a Oliveirense aproveitou a continuidade da intensidade baixa da partida para criar perigo. Depois de um remate de Pablo Cancela para defesa de Carles Grau, o internacional espanhol contrói nova jogada que culmina num remate contra o poste azul e branco por parte de Ricardo Barreiros.

Aos seis minutos, o esforço da equipa visitante é recompensado com um golo. Jordi Bargalló remata contra o corpo do guarda-redes portistas, a bola continua viva e, na recarga, Josep Selva fuzila a baliza dos “dragões”. A Oliveirense reduzia, assim, para 2-1.

Na sequência de duas faltas assinaladas a favor da UDO, os ânimos começaram a aquecer. Jordi Bargalló sofreu falta de Reinaldo Garcia e o jogador portista recebeu o cartão azul. Os adeptos da casa exaltaram-se e a partida ganhou uma nova dose de intensidade emocional e perdeu no aspeto técnico.

O FC Porto aguentou dois minutos sem uma unidade e manteve-se na frente do marcador. Qualquer contacto físico entre os jogadores provocava uma reação dos adeptos presentes no Dragão Caixa. O aquecer dos ânimos levou os adeptos de ambos os lados a cantar pelas equipas durante longos períodos de tempo.

Aos 11 minutos, os “dragões” cometem a décima falta, muito contestada pelos adeptos. Na conversão do livre direto da Oliveirense, Pablo Cancela falhou a oportunidade de empatar o jogo e levou as bancadas azuis e brancas à euforia.

O FC Porto ganhou um novo alento e começou a pressionar cada vez mais os visitantes perto da sua baliza. Os remates sucediam-se num curto espaço de tempo, com o destaque a vir para Jorge Silva, que viu um tento quase certo a ser parado pelo guardião da Oliveirense, em cima da linha de golo.

A quatro minutos do fim, foi assinalado penalty a favor dos “dragões”. Gonçalo Alves foi chamado a bater e conseguiu concretizar. O golo causou uma autêntica erupção dos adeptos azuis e brancos, colocou o marcador nos 3-1 e deixou a equipa da casa mais tranquila na partida.

O jogo não teve mais nenhum momento flagrante de golo, até ao último minuto, em que a Oliveirense cometeu a décima falta. Hélder Nunes ficou encarregue da marcação livre direto e colocou a bola dentro da baliza dos visitantes.

A vitória do FC Porto ficou consolidada e a partida terminou com o resultado final de 4-1. Devido à vitória do Sporting CP sobre o SL Benfica, o Porto sobe para o segundo lugar da tabela e fica a um ponto da primeira posição, antes do embate com os “leões”.

Um jogo “complicado”

Renato Garrido, técnico do Oliveirense, considerou que o jogo foi equilibrado, mas o resultado “não correspondeu minimamente” ao que aconteceu em campo. Em declarações ao JUP, o treinador da equipa de Oliveira de Azeméis afirmou que a equipa podia ter feito o golo em várias ocasiões, mas não conseguiu “ter a capacidade de dilatar o resultado”.

O técnico do FC Porto, Guillem Cabestany, achou que o jogo “foi complicado” e que a equipa esteve à altura do desafio. Sobre a luta pelo título, o treinador azul e branco compara o jogo contra o Sporting a uma “verdadeira final” e garante que a sua equipa vai fazer o melhor para alcançar o primeiro lugar.

O Futebol Clube do Porto visita o Sporting Clube de Portugal e o União Desportiva Oliveirense visita o Valença, em jogos a contar para 25º jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins.