Desporto

HÓQUEI: DRAGÃO FAZ NOVO ‘KNOCKOUT’ A OBJETIVOS DO BENFICA

O Futebol Clube do Porto voltou a vencer o Sport Lisboa e Benfica, desta vez por 5 - 2, e segue para a 'final four' da Taça de Portugal.

Uma semana depois do Futebol Clube do Porto (FCP) ter goleado o Sport Lisboa e Benfica (SLB) para a Liga Europeia por 9 – 2, a Taça de Portugal voltou a pôr ambas as equipas frente a frente. Na última ronda, os “dragões” tinham eliminado o Sporting, enquanto que as “águias” tinham batido o Famalicense.

O FC Porto entrou melhor na partida e logo aos 30 segundos de jogo, João Rodrigues viu o cartão azul, que levou Hélder Nunes para a marca de livre direto. Na cobrança, Pedro Henriques levou a melhor e adiou o primeiro do FC Porto.

Contudo, o nulo no resultado não durou muito mais tempo. Aos 3 minutos, Rafa abriu a contagem, numa jogada de insistência após um remate de longe de Gonçalo Alves.

O FC Porto continuava a pressionar e logo a seguir foi a vez de Gonçalo Alves balançar as redes “encarnadas”. Num ataque rápido, Reinaldo Garcia assistiu o número 77 portista que, sozinho dentro de área, atirou para o 2 – 0.

Os azuis e brancos eram os únicos a conseguir criar ocasiões de golo, fosse em ataque organizado ou em ataques rápidos. Contra a corrente do jogo, uma perda de bola de Gonçalo Alves permitiu que Nicolia e Adroher tirassem Hélder Nunes do lance e o argentino assistiu o espanhol para o 2 – 1.

A partir desse golo, o SL Benfica entrou mais no jogo e as oportunidades começaram a existir para ambos os lados. A seis minutos do intervalo, Jorge Silva acertou no poste, mas ficou a reclamar grande penalidade junto da equipa de arbitragem. O jogo acabou por ir para intervalo com o resultado em 2 – 1 e a eliminatória em aberto.

A segunda parte começou, tal como a primeira, com maior pressão do FC Porto. Aos 28 minutos, Carlos Nicolia cometeu falta sobre Hélder Nunes e foi admoestado com o cartão azul. Desta vez, o capitão portista não vacilou e fez o 3 – 1, com uma “picadinha” sobre Pedro Henriques.

Ao minuto 33, novo cartão azul, agora para Adroher, e Hélder Nunes bisou no encontro, mais uma vez de livre direto.

O Benfica teve oportunidade para reduzir logo a seguir, mas Carlos Nicolia não teve capacidade para concretizar o livre direto que castigou a décima falta portista.

Com o resultado em 4 – 1, a equipa da casa começou a controlar o jogo. Mesmo assim, aos 43 minutos, Nicolia cometeu a décima falta “encarnada”, mas, desta vez, Hélder Nunes não conseguiu bater Pedro Henriques.

À passagem do minuto 46, Miguel Rocha reduziu para 4 – 2 e reabriu a esperança benfiquista para os últimos minutos. O problema foi que, ainda dentro do mesmo minuto, Hélder Nunes matou o jogo com o quinto golo portista, consumou o hat-trick pessoal e fechou a contagem da partida.

No final da partida, Guillem Cabestany disse que “a equipa entrou bem e teve a sorte de ficar na frente [do marcador]”. O treinador do FC Porto constatou que “a equipa esteve ao mesmo nível da semana anterior”, mas o Benfica “esteve melhor”. O técnico espanhol recusou que as bolas paradas tivessem sido fundamentais: “Não, porque se tirássemos as bolas paradas acho que o jogo do FC Porto continuava a ser bom na mesma. Hoje conseguimos dilatar o resultado através desses lances”.

Já Pedro Nunes afirmou que o que falhou no jogo foram “o 3 – 1 e o 4 – 1”. O técnico do Benfica deixou no ar que as “águias” foram prejudicadas pela arbitragem nesses dois lances. Sobre a equipa, Pedro Nunes deixou elogios: “Há uma semana não saí satisfeito e hoje também não, mas hoje foi um jogo mais real. Nunca senti o Benfica inferior ao Porto”.

O FC Porto apurou-se assim para a final four da Taça de Portugal e continua com o sonho de revalidar o título. No próximo jogo, o FC Porto recebe o Óquei Clube de Barcelos (OCB) e o Benfica recebe o Clube Desportivo de Paço d’Arcos (CDPA), ambos os jogos a contar para o campeonato nacional de hóquei em patins.