ANDEBOL: SPORTING ROUBA A LIDERANÇA AO FC PORTO – Jornal Universitário do Porto
Desporto

ANDEBOL: SPORTING ROUBA A LIDERANÇA AO FC PORTO

O Sporting Clube de Portugal venceu o Futebol Clube do Porto no Dragão Caixa, por 31-25, num jogo em atraso da 18ª jornada do Campeonato Nacional de Andebol 1.

O Sporting deslocou-se esta terça-feira ao Dragão Caixa, com o objetivo de roubar a liderança do campeonato ao FC Porto. Com 54 pontos na classificação (menos um do que os “dragões”), mas com menos um jogo, a equipa de Hugo Canela precisava de vencer para assumir o comando do campeonato.

O jogo começou equilibrado, com a agressividade excessiva da defesa do FC Porto a revelar-se o principal destaque. Demasiado impetuosos nos duelos, os “azuis e brancos” permitiram que os visitantes conquistassem dois livres de sete metros nos primeiros dez minutos, ambos concretizados com sucesso por Carlos Ruesga.

O efeito do acumular de faltas, cartões, e até suspensões (Rui Silva foi alvo de uma exclusão temporária também no período inicial) acabou por começar a desnivelar a partida. O técnico portista, Lars Walther, descontente com o arranque da sua equipa, foi obrigado a solicitar um Time Out ainda antes do primeiro quarto de hora terminar.

A equipa da casa, ainda assim, não voltou melhor depois do desconto de tempo e o Sporting continuou a avolumar a vantagem. Depois de várias defesas do guarda-redes leonino e de contra-ataques bem aproveitados por Pedro Portela, os “leões” chegaram ao minuto 23 a vencer por 11-7.

Nos derradeiros minutos da primeira parte, Carlos Carneiro (que entrava para o lugar de Tiago Rocha no momento defensivo), conseguiu perturbar as ações de Miguel Martins no ataque, através de uma marcação individual, e provocar várias perdas de bola do número 10 portista.

Muito eficaz nos contra-ataques, a equipa leonina conseguiu aproveitar as várias falhas técnicas da equipa da casa para ampliar a vantagem e chegar ao intervalo a vencer por 15-9.

“Dragões” melhoraram no segundo tempo

A equipa da casa voltou para o segundo tempo mais esclarecida e os dois golos de Rui Silva a abrir colocaram a equipa sportinguista em sentido. O internacional português conseguiu ainda provocar a exclusão de Pedro Portela e deixar a antiga equipa com apenas seis elementos.

Ainda no capítulo disciplinar, Daymaro Salina deixou também a sua equipa com menos um elemento, mas por expulsão, na sequência de uma falta imprudente. Do outro lado, Frankis Carol viu também o cartão vermelho por travar, em falta, um contra-ataque de Diogo Branquinho.

Num período marcado sobretudo pelo jogo à margem das leis, Carlos Ruesga penalizava o jogo faltoso dos anfitriões ao chegar à marca de quatro livres sete metros concretizados.

Aos oito minutos do segundo tempo, o Sporting vencia por 19-13, o que obrigou o treinador Lars Walther a usufruir do desconto de tempo muito cedo.

Após a pausa, o técnico portista promoveu uma troca na baliza e fez entrar Sérgio Morgado para o lugar de um desinspirado Hugo Laurentino. O habitual guarda-redes suplente entrou bem no encontro e, com boas defesas, permitiu ao Porto aproximar-se do Sporting, com o resultado a chegar aos 19-15 aos 11 minutos.

Após ter começado o segundo tempo no banco de suplentes, Miguel Martins reentrou na partida para os 20 minutos finais e destacou-se com uma grande exibição neste período. O lateral assinou mesmo quatro dos cinco golos que aproximaram a equipa da casa, com o resultado a fixar-se nos 22-19, desvantagem mais curta dos “dragões” na segunda parte.

A perder por 24-20 a dez minutos do fim, o Porto arriscou tudo e colocou em jogo sete jogadores de campo ao abdicar do guarda-redes nos momentos ofensivos.

Do lado do Sporting, Carlos Ruesga continuava a evidenciar-se pela eficácia nos livres de sete metros, ao chegar ao sétimo golo em igual número de tentativas. Já o FC Porto apresentava apenas uma eficácia de 33% nestes lances, ao converter apenas 1/3 tentativas.

Miguel Martins continuava a parecer o único caminho para os golos dos “azuis e brancos” e chegou ao sétimo tento aos 25 minutos, numa atura em que o resultado se encontrava em 26-22.

Nos minutos finais, os “dragões” ainda tentaram a marcação individual, mas não conseguiram ser bem sucedidos e o Sporting ampliou a vantagem para um resultado final de 31-25.

Hugo Canela: “Ainda não ganhámos nada”

No final do encontro, o técnico leonino realçou a entrega da sua equipa e afirmou que o Sporting “conseguiu marcar muitos golos à melhor defesa do campeonato”. Ainda assim, Hugo Canela destacou que o campeonato ainda está longe de estar resolvido.

O treinador do Sporting salientou ainda a dificuldade de jogar no Dragão Caixa e lembrou que a sua equipa nunca tinha conseguido vencer neste pavilhão.

Lars Walther: “A grande diferença esteve nos guarda-redes”

Já o técnico portista salientou a grande exibição dos guarda-redes adversários e lamentou que os guardiões da sua equipa tivessem efetuado apenas um total de seis defesas: “Assim não se ganha um jogo de andebol”.

Lars Walther considerou ainda que a sua equipa “teve demasiado respeito pelo Sporting” na primeira parte e que “no segundo tempo mostrámos que não precisávamos de respeitar tanto o adversário”.

O treinador anfitrião referiu ainda o grande investimento feito pelo Sporting esta época que, argumentou, “é positivo para o campeonato”.

As duas equipas regressam à competição no sábado, ambas em casa, para a 22ª jornada do Campeonato Nacional. O FC Porto recebe a equipa do Águas Santas, enquanto o Sporting defronta o ADA Maia/ISMAI.