Desporto

DUPLO RECURSO AO VÍDEO-ÁRBITRO NO JAMOR

Em Portugal, o primeiro jogo oficial com recurso ao vídeo-árbitro foi a final da Taça de Portugal, no último domingo, no Jamor.

Dia de 77.ª Taça de Portugal. Dia de estreia de vídeo-árbitro. Benfica e Vitória de Guimarães defrontaram-se num estádio cheio e sob o olhar atento de Jorge Sousa e Artur Soares Dias, os vídeo-árbitros do encontro. Três lances duvidosos na grande-área vimaranense ditaram a oportunidade de colocar em prática a tecnologia.

A primeira ocasião para testar a eficácia do vídeo-árbitro surgiu quando o cronómetro ainda contava 12 minutos de jogo. Numa construção de ataque do Benfica, Grimaldo cruzou da esquerda e a bola embateu no corpo e depois no braço de Josué, no interior da área do Vitória. Hugo Miguel pediu que confirmassem o lance do camisola 3. O sistema validou a decisão do juiz da Associação de Futebol de Lisboa (AF Lisboa).

Três minutos depois, um choque entre Marega e Lindelöf numa disputa de bola na área do Vitória de Guimarães levou a nova intervenção do vídeo-árbitro.

O vídeo-árbitro voltou a ser preciso na segunda parte do encontro. Numa jogada confusa dentro da área da equipa da casa, Celis faz um carrinho, a bola bate em Franco Cervi e acaba por ressaltar para o braço de Josué. Hugo Miguel não assinalou penálti. O vídeo-árbitro deu-lhe razão.

O sistema, a cargo dos árbitros da Associação do Porto, permite aceder a “todos os ângulos de câmara disponíveis no estádio”, segundo o vídeo publicado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Golos, penáltis, cartões vermelhos diretos e identidades trocadas são as quatro situações de jogo onde atua o vídeo-arbitro.

Na época 2017/2018, os árbitros vão poder contar com o auxílio do sistema de vídeo-árbitro em todos os jogos da Liga.