Desporto

JOGOS DE HÓQUEI EM PATINS COM NOVOS MARCADORES ELETRÓNICOS

A nova tecnologia vai ser implementada a partir da próxima época em todos os pavilhões com jogos da primeira divisão.

Os marcadores eletrónicos foram testados na Elite Cup, competição de pré-temporada organizada pela Federação Portuguesa de Patinagem (FPP), e vão ser instalados em todos os pavilhões que recebam jogos da primeira divisão de hóquei em patins. “Depois do sucesso que têm sido as fichas de jogo eletrónicas dos jogos da I Divisão masculina, que são colocadas online e em tempo real no site da FPP, pretendemos avançar para a instalação de marcadores eletrónicos, inicialmente nos pavilhões onde atuam as equipas da I Divisão”, disse Paulo Rodrigues, vice-presidente da Federação Portuguesa de Patinagem e responsável pelo hóquei em patins, à agência Lusa.

Estes marcadores trazem a inovação de contar os 45 segundos que cada equipa tem para rematar à baliza, que até agora eram contados mentalmente pelos árbitros de cada partida.

Paulo Rodrigues também revelou que estes marcadores “vão ajudar a arbitragem, os jogadores e o público presente nos pavilhões, que assim poderão olhar para um ‘placard’ e ver quantos segundos faltam para uma equipa rematar à baliza adversária”.

Satisfeito com a competitividade do campeonato português, Paulo Rodrigues afirmou que “A contagem manual, atualmente feita pelos árbitros, é mais falível e responsabiliza em demasia os juízes dentro do rinque”.

O vice-presidente da FPP realçou ainda que o hóquei em patins tem tido boas assistências em muitos pavilhões, não só nos jogos dos ’grandes’. “Não nos podemos queixar. Temos pavilhões cheios em vários locais. Não é só no Dragão Caixa ou na Luz. Esta temporada, temos uma média de 800 pessoas por jogo. Se forem a Barcelos, Turquel, Valongo ou São João da Madeira também veem recintos cheios”, completou.

O dirigente federativo falou ainda sobre as transmissões televisivas da modalidade. “Estamos a conseguir ter um jogo por semana na TVI24. O nosso acordo com este canal televisivo vai prolongar-se por quatro anos, o que é muito bom para a divulgação do hóquei em patins”, concluiu.