Cultura

FANTASPORTO: A ANTESTREIA MUNDIAL DE ADVERSE

O Fantasporto contou com a antestreia mundial do filme ADVERSE. A sala estava recheada e, antes do filme começar, os discursos foram inspiradores. As primeiras palavras foram de Beatriz Pacheco Pereira, fundadora do festival.

Os autores do filme “ADVERSE” viajaram 15 horas para, dois anos depois, voltarem ao Fantasporto para a antestreia mundial do filme. Salientaram o privilégio e honra que sentem ao marcarem presença no festival e admitem estar orgulhosos do trabalho desenvolvido.

O filme, realizado por Brian A. Metcalf, retrata a história de um irmão que procura proteger a irmã mais nova – uma jovem rebelde, que, em conjunto com o namorado, se envolve em negócios perigosos, que o levam a infiltrar-se num grupo criminoso.

A intensidade sonora, as cores e os planos do filme provocam a sensação imersiva de que estamos a viver a ação, lado a lado com as personagens. A responsabilidade, os princípios humanos e as consequências dos nossos atos são algumas das temáticas abordadas.

Ainda antes da projeção, o Grande Auditório do Teatro Rivoli, repleto de público internacional, transbordava curiosade e expectativa. Beatriz Pacheco Pereira subiu a palco e dirigiu algumas palavras. A fundadora do Fantasporto centrou-se na identidade do festival e espera que este continue a existir enquanto a cidade e o país existirem. Sublinho que, neste momento, a prioridade é que as pessoas gostem desta edição.

A independência, a exigência e o rigor são características que diferenciam o festival e que lhe atribuem credibilidade e respeito.

“Não é um festival só de cinema, é um festival de cultura.”

O evento destaca-se pela oportunidade que dá aos realizadores de exporem os seus filmes, o que se traduz numa descoberta de novos talentos. De relembrar que já passaram entidades como Quentin Tarantino e James Cameron.

Beatriz Pacheco Pereira acredita que o prestígio adquirido por este espetáculo cinematrográfico, atribui uma responsabilidade ainda maior a todos os patrocinadores e expõe a necessidade de angariar mais. Apela para que o investimentos nacionais se distanciam apenas do futebol e dos festivais de rock.

Os filmes que são expostos são diversificados – desde tragédias a comédias. Filmes que vão mexer com cada pessoa que se senta para os admirar. Há muito por onde escolher. E a atualidade social da corrupção, do ambiente e da luta contra o radicalismo está patente em várias obras.

O homenageado deste ano é o realizador galês Julian Richards, que também marcou presença na antestreia do filme “ADVERSE”.

O Fantasporto é um dos festivais internacionais de cinema mais prestigiados a nível mundial. São 13 dias de loucura para os amantes de cinema, que começaram dia 25 de fevereiro e se prolongam até dia 8 de março.

Artigo da autoria de Mariana Vilas Boas