Cultura

CUCA ROSETA DEU VIDA AO NORTE NA CASA DA MÚSICA

Num concerto solidário, na Casa da Música, em prol da Vida Norte, Cuca Roseta cantou com o objetivo de alertar para a causa e sensibilizar corações. Acompanhada pelos seus músicos, a artista colocou a Sala Suggia, a cantar. Por Salomé Santos

O espetáculo solidário foi a favor da Vida Norte. A associação dedica-se a apoiar, diariamente, grávidas nos distritos de Porto e Braga. Apresentado por Jorge Gabriel, e a pensar na vida de mulheres que precisam de ajuda, o concerto solidário aconteceu na passada terça-feira, na ”melhor sala de espetáculos do país”, segundo Cuca Roseta.

A artista subiu ao palco do coração da Casa da Música para um espetáculo com “casa cheia”. Cuca agradeceu à marca “Pé de chumbo” pelo vestido preto feita à mão com o qual subiu a palco, e fez-se silêncio para se ouvir cantar fado, que ecoou nos corações dos presentes.

A fadista partilhou com o público a nova música do seu próximo disco, Amor de domingo. Seguiu-se um momento inesperado, no qual Cuca Roseta deixou o palco para que os músicos que a acompanham tocassem a solo, num instrumental onde os instrumentos são o único foco.

A artista regressou para um tema ao piano, de vestido vermelho, onde cantou “Saudade e Eu”. Enquanto se ouvia o tema “Balelas”, Cuca pediu ao público para a acompanhar e colocou toda a sala a cantar o refrão.

No final do concerto, a fadista foi surpreendida com flores, como forma de agradecimento, mas as surpresas não ficaram por aqui. O Grupo Coral dos Pequenos Cantores da Maia subiu ao estrado para apresentar dois temas.

“Luz do Mundo” foi o tema adotado pela Vida Norte como hino da Associação e Cuca cantou-o com o grupo coral. Na última música, o momento mais emotivo da noite, não foi só o público que ficou de lágrimas nos olhos. Cuca, de voz tremida pela emoção, voltou a juntar a sua voz às do Coro dos Pequenos Cantores da Maia.

No final do espetáculo, a artista deu uma sessão de autógrafos. O concerto reverteu para a Vida Norte, na comemoração dos 20 anos da associação.

Artigo da autoria de Salomé Santos