Cultura

O FOLK ROCK DE BOA SAÚDE DE CASS MCCOMBS

O músico americano apresentou, na passada sexta-feira, no gnration, em Braga, o seu novo disco Tip of the Sphere (2019).

Depois de Kevin Morby, em julho, foi a vez da cidade dos arcebispos receber Cass McCombs, outro peso pesado do folk rock americano atual.

Embora, não tenha a sala lotada, McCombs – que, na noite anterior, tocara no auditório CCOP no Porto – proporcionou um concerto longo, navegando um pouco para além do novo álbum, e revisitou Wit’s End (2011), The Big Wheel and Others (2013) e Mangy Love (2016).

Com quinze minutos de atraso, McCombs e a banda subiram ao palco, cumprimentaram cordialmente o público português, e abriram o concerto, com intensidade, recorrendo ao primeiro tema do novo álbum: “I Followed The River South To What”. Terminaram, apoteoticamente, a primeira canção num solo longo e denso. De seguida, foi a vez de “Bum bum bum”, balada western e melancólica de Mangy Love.

Seguiu-se “The Great Pixley Train Robbery, ladaínha country rock que conta a história verídica de um assalto a um comboio, protagonizado por John Sontag e Chris Evans, famosos bandidos da Califórnia, terra natal de McCombs, durante a Gold Rush.

Mudando completamente o paradigma, num ambiente jazz e calmo, Cass McCombs interpretou “Confidence man“, single de 2019, seguido de “Real Life“, sozinho com a acústica – a fazer lembrar a tradição folk e Dave Van Ronk – e ainda “Absentee“, só com Frank LoCrasto no teclado.

Os ecos rock voltaram com “American Canyon Sutra e Rounder , de Tip of the Sphere. Esta última música terminou numa quase-jam longa de McCombs e da banda, que nos envolveu no pó da Califórnia, numa roadtrip Kerouac-iana ao som de The Doors.

Depois foi tempo de canções antigas, como “Big Wheel” e “County Line”, seguindo-se “Sleeping Volcanoes”, um dos grandes temas do novo álbum. Segundo McCombs, a canção encerra um convite a uma reflexão sobre a impessoalidade e a volatilidade emocional das pessoas, prontas a erupcionar como um vulcão adormecido.

O concerto durou cerca de 1h30, mas a insistência do público puxou a um encore com “Brighter” e “Rancid Girl”.

Condicente com a melancolia de uma noite de novembro, McCombs presentou-nos com uma performance bonita e íntima, provando uma longa e consistente carreira, bem como um merecido lugar no panteão do folk rock americano.