Cultura

FOTOGALERIA: A QUEIMA ESQUECE-SE, MAS AS FOTOGRAFIAS FICAM PARA SEMPRE

A Queima das Fitas do Porto está de volta para o ano. Para quem já precisa de matar saudades, o JUP preparou uma fotogaleria como resumo desta semana única.
Fotogaleria de Ana Rita Félix, Inês Moura Pinto e Margarida Coelho.

O Hip Hop esteve na casa na terceira noite da Queima das Fitas. Os old school Mundo Segundo e Sam The Kid trouxeram os clássicos de Gaia e de Chelas ao Porto de Encontro. O queimódromo vibrou, ainda, com a energia de Richie Campbell. Ao jovem músico juntaram-se o rapper da Bridgetown, Plutónio, e o talento internacional de Mishlawi.

Ana Rita Félix

Os Insert Coin deram baile na quarta noite da Queima das Fitas do Porto e aqueceram o público para o rei do pimba português, Quim Barreiros. A noite chuvosa não desanimou os estudantes que marcaram presença no Queimódromo para assistir aos concertos.

Inês Moura Pinto

Quarta feira subiu ao palco David Fonseca e trouxe consigo uma energia contagiante. Com músicas originais e covers de outras conhecidas, captou os olhares e os ouvidos de todos no recinto. O público cantou em uníssono as favoritas “Superstars” e “Kiss me, Oh Kiss me”. Já a chegar ao fim da atuação, elementos como uma bola insuflável gigante – que andou de mão em mão na plateia – e um figurante vestido de cão garantiram que o concerto acabava em grande festa.

De seguida, foram os Wet Bed Gang que deixaram o público ao rubro. Para além das chamas que saíam do palco, eram também as faíscas nos olhos dos universitários na frontline ao ouvirem e gritarem todas as músicas. O recinto, por esta hora já estava cheio, e a chuva anunciada acabou por não aparecer.

Margarida Coelho

Jimmy P abriu o palco na sexta feira. Saudou os universitários com saudade e gratidão por estar naquele palco, cumprindo o sonho dos seus anos de faculdade – quando estava do outro lado, na plateia, a ver os artistas favoritos. Sempre cheio de energia e boa disposição, Jimmy P deixou os espectadores de coração cheio.

Gabriel o Pensador atuou perto da meia noite. Para além dos clássicos “2345MEIA78” e “Linhas Tortas”, trouxe novas músicas – músicas com bastante teor político. Também subiu ao palco o futebolista Deco, que para grande surpresa do público, estava a assistir ao concerto. A Queima mostrou o seu lado anfitrião, recebendo-o com os devidos cânticos futebolísticos. O bom humor e o à vontade de Gabriel refletiram-se no público, enquanto este tirava selfies e gravava vídeos com o seu telemóvel. A noite estava quase a acabar e o público pedia mais, o próprio Gabriel queria dar mais, mas o tempo já tinha esgotado. Deixou-nos com uma última canção, que ficou no ouvido o resto da noite.

Margarida Coelho