Cultura

O PORTO RESPIROU O BRASIL EM NOITE DE SAMBA E FESTA DA FAP

A Orquestra Bamba Social ofereceu um concerto gratuito “em casa” juntamente a Tiago Nacarato e convidados como Tatanka e o rapper brasileiro SAIN -filho do célebre Marcelo D2, que recentemente assinou a faixa “Cadê Cascais?” em parceria com a orquestra. Por Giulia Pedrosa.

Composta por 17 músicos luso-brasileiros, o coletivo teve início em 2013, desde sempre encantando o público portuense com muita alegria e samba de raiz. Após apresentações em Inglaterra e França, retornam a Portugal para dar início às comemorações dos 30 anos da Federação Académica do Porto, que promove tantas iniciativas quanto anos até à data em que apaga as velas, 8 de julho.

A apresentação de duas horas de duração teve estrutura montada no meio da Avenida dos Aliados, com palco principal e duas telas em que se passavam imagens ao vivo do concerto, para aqueles que estavam mais atrás na audiência. A Avenida lotou de portugueses, inúmeros brasileiros e turistas das mais diversas nacionalidades que passavam e ficavam maravilhados com o espetáculo, acabando por lá ficar até ao fim.

O concerto teve início com a voz sossegada do cantor brasileiro Luca Argel, também integrante da Orquestra, erradicado no Porto há alguns anos. Com músicas vibrantes que passavam dos anos 30 brasileiros até a atualidade, uma coletânea de vídeos de samba antigos passados ao fundo do palco aproximava mais ainda o público ao gostoso gingado.

Tiago Nacarato, filho de músicos brasileiros, encantou o público ao cantar “Onde Anda Você?” de autoria de Vinícius de Moraes, canção que marcou o início da sua carreira no programa musical The Voice e agora é reconhecida mundialmente com a sua mansa voz.

O cheirinho brasileiro foi mais que espalhado na cidade, a via encheu-se de muito samba e alegria com clássicos cantados também pelo simpático Pedro Guerreirinha, vocalista desde os primórdios do coletivo.

A noite virou festa e mudou completamente o ambiente com a entrada de SAIN no palco. O rapper brasileiro trouxe literalmente o break dance ao chão com sucessos de seu pai, Marcelo D2, como “Qual é?” e “Desabafo”. O público cantou junto e aplaudiu o rapper que “quebrou tudo”, como dito por Luca Argel ao final da apresentação, com “A Maldição do Samba”.

Tiago voltou aos palcos, agora acompanhado de Tatanka, para cantar a clássica “Nem Vem Que Não Tem” de Wilson Simonal. Tatanka como sempre transpareceu paixão e diversão ao tocar as músicas com muitas expressões faciais. Em seguida cantaram “Ela Sumiu” de Tim Maia e mais algumas músicas. Luca Argel retorna aos palcos para cantar “Sorrir” com Tiago, tema que fizeram em homenagem ao Carnaval, seguidos de muito entusiasmo do público que dançava e pulava animado. Juntamente com Luca, Denise Machado, vocalista e única mulher do coletivo, fez o backing vocal, deixando a plateia fascinada.

Para finalizar, a orquestra tocou “Deixa a vida me levar” do cantor brasileiro Zeca Pagodinho, grande nome do samba. Com muita percussão e batuque africano, em uma típica roda de samba, todos os participantes do espetáculo subiram ao palco por volta das 23h30 para, abraçados, agradecerem a presença do público.