Cultura

POETRY SLAM: POESIA É A NOVA REVOLUÇÃO DE ABRIL

Se tens poesia original perdida entre cadernos e gavetas, o Poetry Slam do Porto anuncia a primeira fase de partilha poética no dia 19 de Abril, na Casa Bô. Por Inês Sincero.

Chegou aquela altura do ano. Finalmente.

Há quem espere pelo Natal, pela noitada de aniversário, ou pelo Paredes de Coura – e, atenção, tudo isso são ânsias muito válidas e louváveis. Mas depois há quem corte os dias no calendário para chegar Abril. Porque a história ditou que este fosse um mês particularmente revolucionário. Um mês que nos deixa com uma vontade especial de «acabar com o estado a que chegámos». E como não há revolução sem arte, e duvido que haja arte sem uma pitada de poesia, este nosso Abril traz, às cavalitas, a primeira fase do Poetry Slam.

O Poetry Slam é um Festival de Poesia, Performance e Spoken Word, a nível nacional, aberto em permanência a novos curiosos, poetas, locais e organizações. Todos os participantes devem apresentar, em menos de três minutos, poesia original. De seguida, alguns elementos do público – escolhidos aleatoriamente como júri – pontuam cada apresentação (que não pode conter música nem acessórios) numa escala de 0 a 10. “Não existem estilos ou temas adequados. Existem, sim, várias linguagens possíveis, que variam com a diversidade dos participantes que fazem parte deste movimento”, pode ler-se na página do evento nacional.

O evento conta já com cinco edições bem-sucedidas e a cada ano o público entusiasta tem vindo a aumentar. No próximo dia 19 de Abril (sexta-feira), às 22h00, na Casa Bô, na Rua do Bonfim, vive-se o primeiro de quatro momentos. Nos três Slams iniciais participam entre seis a dez concorrentes, entre os quais são apurados dois para a fase final. Na noite da última decisão, apura-se aquele que irá representar o Porto na sessão nacional – cargo entregue a Tozé Cru, em 2018, que, com o seu jogo de palavras perspicaz e raro, conquistou o Porto, os vencedores dos outros distritos e trouxe-nos um segundo lugar.

Ainda não há datas nem locais definidos para as duas seguintes rondas, nem para a noite final. No entanto, no caso do Abril revolucionário nos trazer coragem para partilhar a poesia que enfiamos sempre na gaveta, as inscrições devem ser submetidas para o endereço poetryslamporto@gmail.com, e indicar o nome, a idade e o contacto de telefone do participante. Se, para já, quisermos apenas sentar-nos a escutar a arte e os artistas, mantemos encontro dia 19, às 22h00. (Sim, porque quem veio para a janela em 74 – mesmo que só para ver e sorrir para os cravos – também fez parte da revolução).